Ao longo da minha vida como gamer, sempre apreciei jogos de plataforma. Sonic, Mario, Donkey Kong, Crash, Ratchet & ClankBanjo Kazooie foram só alguns dos títulos que marcaram minha infância/adolescência. O tempo passou, os interesses mudaram, a industria mudou, mas eu sempre cultivei essa via. Foi depois de adulto que consegui terminar alguns jogos de Mario e Donkey Kong, por exemplo, porque quando criança não sobrava muita paciência pra ir até o final.

Ratchet & Clank foi um título que ajudou a suprir essa carência em 2016 e foi um tremendo sucesso para os donos de PlayStation 4. Joguei e curti muito, tendo inclusive, platinado. Agora fomos contemplados com mais um platformer, que chega ao mercado para o público na próxima terça, 11: Yooka-Laylee, a história de dois amigos que se unem para recuperar um livro roubado e só se metem em confusão! Testamos a versão de Windows do jogo ao longo das últimas semanas e vamos trazer para vocês nossas impressões. Afinal, como disse em meu título-spoiler, o jogo representa uma grande mudança no gênero.

Amizade improvável

Ao iniciar Yooka-Laylee, o jogador é apresentado aos dois amigos que dão nome ao jogo. Yooka é um simpático lagarto comedor de plantas e borboletas rosas, enquanto Laylee é um sorridente e perspicaz morcego, sempre pronto para viver as mais loucas aventuras com seu amigo. Parece que essa frase foi tirada diretamente da Sessão da Tarde. Os dois se veem em busca do seu livro preferido, sugado por uma máquina gigante criada pelo super-vilão do jogo, Capital B.

A história começa assim e, como todo bom jogo de plataforma, você faz grandes amigos pelo caminho: uma cobra traiçoeira, uma nuvem, um esqueleto, e por aí vai… Embora a maioria desses amigos seja composta de personagens pontuais, daqueles que fazem parte apenas de um mundo de todos aqueles que você vai visitar ao longo do jogo, sempre há uma troca de favores, que geralmente envolvem pagies.

Yooka-Laylee
Rolar é uma das principais armas da dupla de amigos. (Foto: Divulgação)

As pagies são páginas douradas, as “chaves” usadas para abrir outros mundos. O “mundo aberto” de Yooka-Laylee funciona justamente assim: você pode escolher qual será o seu próximo local a explorar, desde que colete pagies suficiente para desbloqueá-lo. Não é uma liberdade expressa, visto que muitas das vezes o jogador é obrigado a seguir por um caminho pré-determinado pelo jogo para conseguir as chaves, mas a proposta ficou interessante por não te obrigar a seguir uma linearidade.

Uma dupla imbatível

Como todo jogo de plataforma, a jogabilidade é essencial. E em Yooka-Laylee nada ficou a desejar. O jogador tem uma diversos golpes especiais (adquiridos via quills, a moeda do jogo) para enfrentar os mirabolantes e incríveis chefes do título. O “arsenal” é variado e dá opções para o jogador. Pular e atacar é fácil, os movimentos são leves e bem executados, deixando bem claro de que tudo foi feito com muito cuidado. Ainda há transformações, que completam ainda mais a experiência.

Outra coisa que não pode faltar em jogos plataformas são os puzzles, e eles estão firmes e fortes no jogo da Playtonic Games. São muitos mini-games nostálgicos em busca de pagies e outros colecionáveis. Quizes com perguntas sobre jogos clássicos vão te fazer buscar respostas no fundo da memória. Certamente os fãs de jogos clássicos vão encontrar diversas referências ao longo do gameplay.

Os chefes… Ah, os chefes! Esses foram inspirados em muitos jogos e foram um segredo cultivado pela publisher. Dentro do que podemos contar, adiantamos que as surpresas são bem agradáveis e as inspirações que eles trazem são notáveis ao bater o olho. Parece um jogo feito para jovens fãs de videogames na década de 90. Nostalgia pura!

Yooka-Laylee
Notaram alguma semelhança com certo boss de Donkey Kong?
(Foto: Divulgação)

Audiovisual de qualidade

Yooka-Laylee foi totalmente construído em 3D e com câmera móvel. O trabalho gráfico foi muito bem elaborado, com desenhos únicos e variados de diversos personagens e inimigos. A obra é assinada pelos mesmos responsáveis por Banjo-Kazooie e Donkey Kong, então, espera-se coisa boa!

A trilha sonora do jogo também merece elogios. As músicas são leves, nada enjoativas e bem legais de se ouvir, casando bem com a fase (mundo) em que você está naquele momento. Durante as conversas dos personagens, no entanto, fica meu único destaque negativo: as falas animalescas a cada balão é bem enjoativa…

Yooka-Laylee
“Voar, voar, subir, subir…” (Foto: Divulgação)

Marca histórica

Falar de Yooka-Laylee sem ressaltar a importância desse jogo no cenário de financiamento coletivo não faria sentido. O game foi lançado no Kickstarter e, em apenas algumas horas, bateu sua meta de 175.000 libras e já ultrapassou a marca de 2 milhões de libras. Essa grana toda ajudou a Playtonic e a Team17 a lançar o jogo em diversas plataformas: PlayStation 4, Xbox One, Windows, Mac OX, Linux e Nintendo Switch. Reza a lenda que boa parte dessa grana que “sobrou” foi doada pela empresa, composta por cerca de 15 pessoas!

Yooka-Laylee
Não é só a estátua do Capital B que vale ouro. (Foto: Divulgação)

Multiplayer

O jogo conta com multiplayer local em co-op e competitivo online. Infelizmente, não conseguimos testar a funcionalidade pois jogamos uma versão exclusiva para a imprensa, ainda sem adversários.

Yooka-Laylee
Demonstração de multiplayer. Te lembra algum jogo clássico? (Foto: Divulgação)

E aí, vale?

Com toda a expectativa que foi gerada pelos nostálgicos fãs de platformers, Yooka-Laylee carregava um peso grandíssimo. E os desenvolvedores conseguiram entregar um produto que vai agradar novos jogadores e antigos fãs do gênero. Com uma jogabilidade fácil, gráficos e músicas legais, história relativamente interessante, o game da dupla de amigos mais improvável do pedaço é uma pedida certa para todo mundo. É um jogo para jogar sozinho, com os filhos e cônjuges no co-op local ou com amigos no multiplayer competitivo dos mini-games. Pesa contra a falta de legendas em português, algo fundamental para crianças, a maior parte do público alvo do game (será mesmo?).

Yooka-Laylee chega no dia 11 de abril com preço sugerido variando entre R$ 84,99 e R$ 169,90, de acordo com a plataforma e formato de mídia.

Nota Surpreendente

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.