West of Dead jogo
Divulgação

Classificação: 

West of Dead | Review

Em West of Dead não há memória de como você chegou lá, e nada a fazer senão caçar um pastor que possa ter as respostas que você procura. Para encontrar o pastor, você precisará trabalhar em um labirinto de inimigos em constante mudança, usando apenas suas armas e quaisquer itens que você possa adquirir ao longo do caminho.

Acontece que West of Dead é um roguelite baseado em narrativas que, na minha experiência, é sempre uma aposta. Para esse fim, não posso deixar de sentir que o jogo em si está preso em um purgatório de sua própria autoria, preso entre dois gêneros que estão em desacordo. Não é um sucesso delirante nem um fracasso miserável, mas definitivamente é uma experiência divertida.

A Narrativa

Não se pode negar que West of Dead é confiante em seu estilo. Assim que começa a narrativa, você é transportado para o mundo sombrio em que o jogo habita com cores contrastantes e um personagem principal sombrio dublado pelo veterano da indústria Ron Perlman. Nascendo em algum salão do outro mundo, você vai até o barman e pede um pouco de uísque e orientação sobre onde está. Em breve você estará a caminho de um labirinto que não parece ter fim.

Imagem do jogo West of Dead
Divulgação

Desde o início, os riscos do gênero roguelite começam a aparecer quando você recebe duas armas de partida aleatórias. Existem três arquétipos de armas: o rifle de longo alcance, mais lento, a espingarda de curto alcance e poderosa, e a pistola no meio da linha.

A jogabilidade de West of Dead

As armas têm níveis que determinam sua força e também podem incluir indutores de status em West of Dead. Além disso, existem desbloqueios no jogo que expandem suas escolhas iniciais, mas você ainda corre o risco de comprar uma pistola meio ruim para uma de suas primeiras escolhas.

A natureza aleatória dos canhões iniciais não seria tão severa se os níveis não fossem eles próprios. Cada sala é gerada progressivamente e se baseia em um conceito de iluminação e fotografia com capa. Se um inimigo estiver parado na luz, você poderá travá-lo e disparar de qualquer lugar do outro lado da sala, mas se estiver parado nas sombras, você estará por conta própria e só poderá rastreá-lo pelo brilho do focinho. 

Imagem da jogabilidade de West of Dead
Divulgação

A mecânica de luz e sombra é um conceito interessante ao longo de West of Dead, mas é uma câmera que você não pode controlar. Se você não tem problemas com isso, então sua jornada será perfeita dentro desse purgatório. Além disso, um detalhe interessante é que a capa do personagem começa a degradar à medida que é atingida. Se o seu oponente está escondido nas sombras, você é forçado a correr e encontrar uma lanterna para conseguir uma chance melhor. 

Dependendo de quão longe você tem que correr, você pode ser forçado a encontrar esquiva, que é cronometrado apenas o tempo suficiente para você ir direto em uma bala que o rastreia. Pode não parecer muito para dar um tiro, mas em um jogo em que a saúde está ligada a um frasco de uso limitado e ao quão talentoso,ou não, na masmorra, cada tiro dói. Também parece duplamente cruel recompensar uma esquiva perfeita com um tiro no rosto.

Considerações finais

É claro que, do ponto de vista do design, West of Dead foi feito com o intuito de provocar a sua dedicação e persistência ao jogo, o que não é uma coisa ruim, mas se o usuário não for fã de ficar morrendo várias e várias vezes não é um game recomendável. Contudo, o desbloqueio lento dos recursos através da negociação do pecado dos mortos que você coletou é muito divertido.

É o fato de que cada vez que você morre, você é forçado a ouvir a mesma história e passar pelas mesmas interações. Não seria tão ruim se o jogo não forçasse uma troca de câmera para dialogar com outros personagens. Pode parecer pequeno, mas são aqueles segundos extras que começam a se desgastar em você vida após vida, especialmente se sua última morte veio de um tiro errado ou escolha ruim.

Imagem promocional de West of Dead
Divulgação

Ao longo de todo o jogo, parecia que havia um cabo de guerra entre a narrativa e a jogabilidade que nunca encontrou realmente um bom equilíbrio. Não é um acordo, mas pode ser o suficiente para afastar jogadores menos determinados.

Apesar de tudo, o jogo West of Dead é válido pra quem curte jogos da saga souls. A mecânica roguelite ao vivo, morra e repita tem seus ganchos em mim e, embora às vezes seja frustrante, estou trabalhando com os dentes cerrados para desbloquear mais itens e me ajudar em jogatinas futuras. A beleza estética do jogo me ajuda a manter o ritmo e a música, mas eu só gostaria que mais alguns ajustes tivessem sido feitos em algumas das mecânicas dos tiroteios. 

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

West of dead está disponível para PC e Xbox One, enquanto as versões de PS4 e Nintendo Switch serão lançadas em agosto.

Confira também:

Ghost of Tsushima | A tempestade está chegando no novo trailer do jogo

Cyberpunk 2077 | Novo trailer do jogo é revelado em evento virtual

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games do Jornada GeekAproveite também para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitter e instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here