ROCK OF AGES 2: BIGGER AND BOULDER | As pedras seguem rolando!

Desafiador, engraçado, bom e por aí vai. Palavras não faltam para descrever esta divertida obra de arte...

publicidade:

Genialmente divertido. Esta é a definição para Rock of Ages 2: Bigger and Boulder. O game alternativo produzido pela ACE Team e distribuído pela Atlus USA traz de tudo um pouco: história, arte, cultura, humor e muita diversão.

Vem com o Jornada Geek analisar essa divertida odisseia do titã Atlas e seu circular pedregulho!

As pedras rolantes

Em Rock of Ages 2: Bigger and Boulder, a ideia é muito simples: você tem o controle de pedras que rolarão morro abaixo, seja com o intuito de destruir o portão do forte onde se encontra o inimigo ou até mesmo em corridas com ou sem obstáculos, seja online ou offline, em partidas rápidas ou no modo história.

Ao duelar contra seus inimigos, você deverá selecionar e colocar limitadamente algumas barreiras para atrapalhá-lo a chegar ao seu objetivo. Além disso, você também executa a insana tarefa de desviar de inúmeros desafios até chegar aos portões do rival. Quem terminar com a barra de vida do outro primeiro e esmagar (literalmente) o personagem rival é o grande vencedor.

Nas corridas com ou sem obstáculos, tanto online quanto offline, não há muita novidade. Nem por isso o modo de jogo deixa de ser divertido, proporcionando boas risadas nas disputas. A forma de jogar é simples e muito intuitiva, tendo ao longo de todo percurso setas indicando o caminho.

O modo história nada mais, nada menos mescla ambos estilos, somando-se a animações e descobertas em um mapa de desafios explorável. Pra mim, um dos pontos principais do jogo.

Rock of Ages 2: Bigger and Boulder
Saca só a beleza desse jogo! Foto: Divulgação

Bonito, simples e um tanto engraçado

No modo história, conta-se a saga do titã Atlas na Terra. E esse certamente é o ponto forte do jogo. Se deparar com artistas, obras de arte, personagens mitológicos em animações satíricas é algo genial. A dublagem hilária somada aos cenários criados mostra que com ideias simples podem surgir bons jogos.

Abordando diversos períodos da arte e até mesmo a artistas como Vincent Van Gogh e seu pós-impressionismo ou a obra “O Pensador”, de Rodin (que inclusive é um dos bosses do jogo) percebe-se um toque especial que vai além da ação das pedras rolantes. Mas não espere uma história genial: o intuito aqui é amassar inimigos, vencer corridas e rir. E nisso a ACE Team acertou em cheio! Acertou também ao mesclar variados personagens de uma forma divertida e que incentive aos jogadores a buscarem mais sobre cada um deles.

Rock of Ages 2: Bigger and Boulder
Já deu pra ver o quão louco o negócio fica, não é mesmo? Foto: Divulgação

Variedades afloram

Imagine escolher variadas pedras e obstáculos, cada um de acordo com suas necessidades? Isso é possível. As pedras contam com variadas formas e características, sendo cada uma definida por suas estatísticas.

Obstáculos como vacas, que se prendem no pedregulho, atrapalhando a descida, elefantes que te arremessam longe, raios divinos, catapultas, fogos… tantas formas de atrapalhar o inimigo e também por ele ser atrapalhado que fica até difícil escolher.

E isso tudo pode ser desbloqueado ao longo do modo história, onde pode-se também desbloquear novos personagens, bandeiras e outras coisas mais para se usufruir no modo multiplayer (que conta com poucos jogadores, infelizmente).

Mas e a parte técnica?

Este é um ponto chave de Rock of Ages 2: Bigger and Boulder, funcionando maravilhosamente bem. O jogo conta com um tutorial muito intuitivo e que elucida qualquer questão que surja, mesmo não contendo tradução para o português.

Aprofundando sobre a jogabilidade, é simples e responde muito bem aos comandos, seja para controlar as pedras, como para colocar os obstáculos. A variedade de estilos de fases e os belos gráficos ajudam a gostar ainda mais do jogo. A física também é um ponto interessante, sendo muito bem explorada ao longo da jogatina.

Vale a pena rolar junto?

Sem dúvida nenhuma, Rock of Ages 2: Bigger and Boulder vale os R$27,99 pedidos na Steam. Um jogo indie muito bonito, com boa jogabilidade e tantas outras características maravilhosas merece seu espaço. Como dito em outras análises, a simplicidade presente em vários games indie geralmente traz uma explosão de criatividade por parte dos produtores que torna o básico em algo muito maior.

Se você quer ter uma experiência que pode ser maximizada ao jogar no modo multiplayer, esse é o jogo certo. Desafiador, engraçado, bom e por aí vai. Palavras não faltam para descrever esta divertida obra de arte.

Nota ótimo

Rock of Ages 2: Bigger and Boulder foi lançado para PlayStation 4, PC e Xbox One. Até o momento, o jogo soma 79 pontos no Metacritic.

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

publicidade: