Resident Evil 2 | Melhor Remake já feito?

A nova versão de um dos maiores clássicos de survival horror acerta em cheio

publicidade:

Após o fracasso de Resident Evil 6, a mudança de perspectiva em Resident Evil 7 deu um novo gás à Capcom. Aproveitando de diversos re-lançamentos nos últimos anos, a empresa trabalhou em segredo e anunciou durante a última E3, um remake de Resident Evil 2, um dos jogos mais queridos pelos fãs da franquia. Agora, com novos gráficos, uma nova jogabilidade e, claro, elementos atuais, que diferem – e muito – em relação ao título original, lançado em 1998. Sou categórico ao afirmar que jogos de terror com zumbis tiveram um grande boom com o lançamento de Resident Evil 2, e é possível que esse remake também faça isso.

Mas estamos aqui para falar sobre o que achamos do jogo! Interessado para saber mais sobre o remake? Confira nossa opinião agora, em mais uma review do Jornada Geek!

O lançamento tão esperado

Desde que foi anunciado, os fãs da série aguardavam ansiosamente para poder desfrutar dessa obra-prima. Se Resident Evil 2 foi um destaque no quesito inovação em 1998, a expectativa era grande quando após o anúncio da nova versão, completamente reformulada.

As mudanças que os fãs – como eu, esperávamos para o jogo levantavam questionamentos sobre o que seria acerto ou erro, mas que, no final das contas, agregaram valor. A câmera fixa, que fazia parte do primeiro lançamento, foi substituído por uma câmera livre, que acompanha o personagem, em terceira pessoa. E as mudanças do uso das personagens secundárias, Sherry e Ada, deram um uso e uma relevância maior delas para o gameplay, já que ambas agregam informações importantes para a história. 

Resident Evil 2 | Melhor Remake já feito? 1
Um dos encontros de Claire com o Mr. X (Foto: Divulgação)

Gráficos fotorrealistas e sombrios

Os gráficos de Resident Evil 2 foram criados com a mesma engine de Resident Evil 7 e, por isso, é algo que chama atenção. É um jogo muito bem trabalho e bem elaborado, abordando cada aspecto dos personagens. Os detalhes são desde estar molhado, cansado ou ainda surpreso com uma situação, e retratar de forma fidedigna os elementos principais apresentados no jogo de 1998. 

O som é outro ponto chave que vale a pena ser retratado. Se as criaturas existentes na delegacia já deixam uma apreensão no jogador, toda a parte sonora traz uma sensação ainda maior de medo ou de receio, envolvendo-o de tal forma que qualquer barulho externo pode te assustar. A busca incansável do Mr. X por Leon ou Claire, com os passos que parecem estar do seu lado – e as vezes está mesmo – fazem com que o jogador repense seu trajeto, afim de não ter que encarar aquele monstro de “3m de altura”.

Resident Evil 2
Leon e Ada antes do encontro com um dos Bosses mais icônicos de RE2 – Crocodilo (Foto: Divulgação)

A história clássica, com elementos de melhoria

Resident Evil 2 começa surpreendendo os jogadores que já haviam jogado seu “irmão mais velho”, retratando o encontro de Leon e Claire antes de chegar em Raccoon City. Já no início, o game mostra pra que veio: sangue e tiro. Sem economizar no gore, o jogador tem a real sensação de como seria um zumbi de verdade, ao ver suas entranhas e deformações realistas.

A câmera livre, como já falei acima, diferentemente da apresentada em 1998, traz uma maior liberdade ao jogador, que consegue “sentir” melhor as dificuldades, e não há facilitismos em jogar com um controle ou uma manete. Os zumbis em constante movimento te fazem errar muitos tiros.

Resident Evil 2
Marvin Branagh ganha mais espaço e rouba a cena com sua aparição (Foto: Divulgação)

No entanto, é importante ressaltar. Comparar o Resident Evil 2 de 1998 com o de 2019 é injusto. Os recursos que as equipes de desenvolvedores haviam  disponíveis nem se comparam com os de hoje, portanto, a Capcom acerta ao tratar o jogo como uma releitura. Se você jogou a versão de 1998, vai encontrar diferenças em 2019.

É claro que os pontos principais da primeira versão, como lugares, bosses e alguns puzzles semelhantes conseguem aumentar a imersão aos novos ambientes, mas é interessante ver como novas interações e as novas habilidades de Ada e a astucia de Sherry ainda conseguem surpreender os jogadores, complementando a história criada há 21 anos.

Resident Evil 2
O realismo gráfico é impressionante no novo Resident Evil 2 (Foto: Divulgação)

Veredito

Resident Evil 2 é uma releitura de um consagrado jogo, que marcou a história de jogos de terror e zumbis. Mas vale lembrar que nem tudo são flores: o jogo, apesar de tudo, conseguiu pisar na bola em alguns aspectos, como monstros bugados ou ainda um certo boss que pode trazer ao jogador uma apreensão fora do comum.

Ainda assim, esses erros não comprometem a experiencia única que é jogar o novo Resident Evil 2. Jogar com Claire/Sherry e Leon/Ada é algo quase obrigatório para os fãs de jogos do gênero de survival horror.

Nota Surpreendente

Resident Evil 2 está disponível para PlayStation 4Xbox One e PC, via Steam e Nuuvem. O título tem legendas em português brasileiro. No Metacritic, o game ficou com a média de 91 pontos na versão avaliada.

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

publicidade: