REDEEMER | Mil e uma maneiras de matar

O título entrega uma divertida experiência aos jogadores fãs de muita pancadaria, fazendo muito bem esse papel.

publicidade:

O título já traduz a proposta do jogo. Para os fãs da violência, Redeemer, game desenvolvido pela Sobáka Studios e distribuído pela Gambitious Digital Entertainment é um prato cheio. O game usa e abusa de golpes, armas e elementos do cenário para destruir os inimigos.

Mas somente esta ideia faz do título um bom jogo? A resposta você confere agora, em mais um review do Jornada Geek!

A saga do redentor

O jogo começa com a história de Vasily, um ex-mercenário russo que buscou encontrar sua paz em um mosteiro. Mas como o sossego de quem tem inimigo é curto, seus inimigos ressurgem e fazem uma verdadeira chacina no local. Todo o controle obtido pela meditação abre espaço para que o mercenário de cabelos brancos volte a ser como antes.

Parece interessante a história, não é mesmo? Mas ela não é o ponto forte aqui, acredite. Ao longo da trama que inicialmente parecia genial, surgem então mutantes e instalações subterrâneas, algo bem non-sense até para essa proposta. Mas como eu havia dito, o enredo é o de menos aqui.

Redeemer
Um golpe sorrateiro de Vasily. (Foto: Divulgação)

Beleza da barbárie

Os gráficos são muito bem trabalhados para um jogo indie, e aqui enfatizo as cutscenes. Esses aspectos auxiliam muito para que o jogo surpreenda. Mais do que isso, a engine de Redeemer responde bem aos comandos, sendo raros os problemas.

A variedade de formas de se eliminar os oponentes também são sensacionais. O número de armas, combos e partes interativas nos níveis nos dão uma gama incrível de possibilidades de destroçar os inimigos. O jogo abusa do uso do sangue, dando um toque mais adulto. Aliás, não é recomendado para crianças, tá?

Redeemer
Pancadaria é o negócio de Redeemer. Foto: Divulgação.

Jogabilidade

Aprofundando a questão da jogabilidade, o hack n’ blast aqui analisado tem uma visão de cima, sendo a sua proposta um pouco parecida com Mr Shifty, outro jogo resenhado aqui. E isso somado aos seus gráficos bem desenhados, só tende a agradar, funcionando muito bem. A câmera em alguns momentos se aproxima, sobretudo ao darmos o golpe final em uma horda de inimigos. Isso é extremamente empolgante, acredite!

Tanto sangue vale a pena?

Redeemer entrega uma divertida experiência aos jogadores fãs de muita pancadaria, fazendo muito bem esse papel. A fraca história não impede que você desanime do jogo. Aliás, você estará mais preocupado com as dificuldades que vão aparecendo ao longo da trama. Os inimigos se aperfeiçoam, empunham armas mais robustas e vão se multiplicando pelo caminho.

De toda forma, é um jogo de tempo mediano, contando com 17 fases, algo que talvez ajude a não enjoar tanto, ainda mais ao introduzir outros inimigos e aumentar cada vez mais a pressão.

Concluindo, Redeemer, game exclusivo pra PC, é ótimo para quem quer distrair sem ter que ficar se preocupando em achar itens ou em tentar entender a história, indo direto ao ponto. O jogo encontra-se na Steam por R$27,99, preço muito justo.

Nota ótimo

Confira também minha review em vídeo do jogo!

*Cópia fornecida pela desenvolvedora.