cloud final fantasy vii
Divulgação

Classificação:
nota surpreendente

Ao considerar o valor de um remake, particularmente de um jogo ou filme clássico, minha medida de seu sucesso se resume a isso: captura a essência do original? Parece tão especial quanto o original? Valeu a pena refazer o original em primeiro lugar?

Final Fantasy VII Remake, por todo o hype e anos de espera, responde a todas essas perguntas com um retumbante “sim”. Mas também vai além e oferece uma experiência fiel, mas completamente diferente da do seu antecessor.

Ele captura a essência do clássico original de 1997 e também se baseia em suas sua primeira versão, introduzindo novas idéias que transformam o conceito original de maneiras fascinantes. Ao contrário da maioria dos remakes, este RPG cuidadosamente criado parece ter o legado do jogo original em vez de explorá-lo. Além disso, o remake se consolida como um dos jogos essenciais dessa geração de console.

O a nova versão de Final Fantasy VII pega a missão criativa do jogo original – conte uma história épica na moda cinematográfica, com personagens relacionáveis ​​se aventurando em um mundo de jogo maciço e com uma textura rica – e a realiza mais uma vez, mas de uma maneira diferente.

O que mudou no sistema de combate de Final Fantasy VII? 

O sistema de combate por turnos original foi substituído pelo combate em RPG de ação em terceira pessoa, mais semelhante aos títulos modernos da Square Enix, como Final Fantasy XV.

Os personagens são mais complexos e trazidos à vida por talentosos dubladores e artistas e animadores da Square Enix. A história é muito mais íntima e abrangente, apesar do fato de o remake abranger apenas as primeiras cinco horas da campanha do jogo original.

final fantasy vii combate
Divulgação

A decisão de definir a totalidade do jogo na cidade de Midgar foi ousada, mas, para tirar isso do caminho, vou lhe dizer agora que o risco rendeu enormes recompensas. O “zoom in” na primeira seção do jogo original permitiu que a Square Enix se expandisse e expandisse a história e os personagens de uma maneira que não apenas prestasse homenagem ao material original, mas também realizasse sua visão artística de uma maneira mais profunda e completa.

O modo campanha permanece o mesmo, ou foi deixado de lado? 

Os pilares da história original permanecem fortes: o mercenário Cloud Strife, seus companheiros de luta pela liberdade ecológica, Barret e Tifa, e a compassiva menina de flor Aerith enfrentam a Shinra Corporation, que mina e empobrece o planeta Mako, rico em energia, para poder Midgar e proporcionar segurança e conforto aos seus cidadãos.

Cloud ainda é um imbecil, Barret ainda tem uma boca tão grande quanto o braço da pistola, e a positividade de Aerith ainda perfura as conotações escuras do jogo como um farol durante a noite. Os principais desenvolvimentos da história permanecem praticamente inalterados.

Assim como o visual do remake está em maior definição do que seu antecessor, sua história também é contada com mais detalhes. Aprendemos coisas novas sobre os personagens, como o Wedge ama gatos (é adorável e faz sentido). Uma personagem como Jessie, que foi pouco mais do que um pontinho na grande narrativa do jogo original, agora fornece algumas das cenas emocionais mais memoráveis ​​da história.

final fantasy vii
Divulgação

E embora sempre soubéssemos que Cloud era um mercenário, agora conseguimos coletar recompensas com ele em Midgar. Você realmente percebe o quão grande e movimentada é a cidade e, em geral, Final Fantasy VII Remake tem um impressionante senso de escala e profundidade que deixa as preocupações dos fãs com o jogo superficial ou insubstancial.

Alguns dos problemas da história original permanecem – muitos dos vilões se sentem intercambiáveis ​​e a trama fica mais complicada à medida que se desenrola. Mas, embora o enredo possa ser um pouco confuso e ilógico, as jornadas emocionais dos personagens são o foco principal, o que realmente dá gravidade à história e torna as coisas mais fáceis de digerir e investir.

Os jogos da Square Enix às vezes podem parecer sem alma e desgastados, atolados. por tradição e exposição, mas esse não é o caso aqui. Este é um jogo emocionante, cheio de momentos de personagens e dubladores genuinamente emocionantes, que realmente parecem pessoas reais lidando com problemas reais (apenas o dublador de Barret já se aventurou em um território exagerado, mas é de bom gosto na maior parte).

Gráficos e Jogabilidade são pontos fortes, além de uma trilha sonora magistral

Outra coisa que me destaca como razão para o remake ser tão bom é a apresentação. Uma das principais razões pelas quais o Final Fantasy VII original foi um jogo tão inovador foi a aparência e o som.

Quando estreou em 1997 era, sem dúvidas, o jogo mais cinematográfico já criado, com cenas deslumbrantes, o que realmente deram vida à história já excelente. Além disso, os personagens e os desenhos ambientais eram icônicos (ainda são), e o compositor Nobuo Uematsu organizou uma das maiores pontuações de videogame de todos os tempos. Parecia e soava mais como um filme de grande orçamento do que qualquer jogo anterior.

Os modelos dos personagens principais são lindamente renderizados, detalhados até os botões e zíperes em seus trajes de combate hilariamente impraticáveis, e suas animações durante a batalha são igualmente incríveis. Os ambientes também são impressionantes – as favelas do Setor 5 e do Setor 7, os becos iluminados por neon do Wall Market, o cemitério de trens assombrado e frio e praticamente todos os locais do jogo oferecem um belo cenário para a aventura.

A iluminação do jogo também é incrivelmente atmosférica e parece sempre corresponder ao humor da partitura, que é um golpe de mestre que não deve ser esquecido.

O visual é espetacular, com cenas tão emocionantes e legais que são capaz de tirar o fôlego. A trilha sonora é divertida, evocativa e tudo o que um fã de Final Fantasy poderia pedir (os temas originais retornam com novos arranjos orquestrais, além de novas músicas).

Além disso, os enormes ambientes detalhados em 3D são ainda mais exuberantes e encantadores do que os fundos originais em 2D pintados. Os jogos Square Enix quase sempre têm altos valores de produção, mas Final Fantasy VII Remake é particularmente polido.

cloud final fantasy
Divulgação

Existem alguns pontos fracos na apresentação visual, no entanto. Geralmente algumas das texturas levam muito tempo para serem carregadas ao explorar os ambientes, enquanto algumas texturas são absolutamente berrantes, estejam totalmente carregadas ou não. Essas desvantagens podem funcionar como distrações às vezes, mas o design artístico é tão forte que, como muitos títulos da Nintendo, as falhas técnicas são mais facilmente perdoadas.

Vale a pena comprar e jogar?

Final Fantasy VII Remake é especial porque respeita o seu antecessor, combinando sua ambição artística. Por mais que o jogo seja uma homenagem ao original, só que muito melhor (por pequenos fatores), o que é arriscado.

Entretanto, a Square Enix fez o que se propôs a fazer, e o fato de que, até agora, sua visão para uma recontagem épica de Final Fantasy VII é bastante fantástica, é uma grande vitória. Este é um jogo que fãs e novatos certamente apreciarão tanto quanto o original.

Desenvolvido pela Square Enix, Final Fantasy VII já esta disponível apenas para Playstation 4.

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

Confira também: Final Fantasy VII Remake | Gameplay explosiva é revelada na E3 2019

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games postadas no Jornada Geek.