-publicidade-

Need for Speed Heat | 25 anos em grande estilo!

A famosa franquia de corridas de rua ganhou uma excelente adição!

Sinceramente, falar da franquia Need for Speed me leva a um tempo remoto, onde locadoras de videogames e lan houses vivam cheias e ainda eram rotineiras na vida dos gamers. Sim, ao falar disso faço menção ao título mais célebre da franquia, o consagrado Need for Speed Underground 2. Naquela época (lá em 2004) era fenomenal ter esse jogo. Sua trilha sonora marcou uma geração de jogadores e, por muito tempo estivemos carentes de um jogo da franquia que trouxesse toda aquela emoção de volta. Filmes como os vários Velozes e Furiosos também chegavam junto, empolgando ainda mais os jogadores em diversas modalidades de corrida.

A principal questão que fica, sobretudo para os fãs da série é: será que Need for Speed Heat, mais um jogo da franquia feito pela Ghost Games consegue entregar essa sensação de nostalgia, emoção e novidades? Se você está curioso(a) pra saber, pegue uma carona comigo em mais uma crítica do Jornada Geek!

Aprimorado

Sim, ao contrário do pouco empolgante Need for Speed Payback, aqui podemos perceber mudanças bem amplas no jogo. Desde a história, muito mais elaborada e cativante, a dificuldade de enfrentar a endiabrada polícia, Need for Speed Heat parece se aproximar das origens de Need for Speed Underground 2 e, ao mesmo tempo, mostrar coisas novas baseadas em outros títulos de corrida. Bem, foi essa sensação que tive e explico algumas coisas bem simples que me levaram a sentir isso.

Primeiro de tudo, o jogo conta com uma trilha sonora excelente, que tem até músicas brasileiras que embalam as insanas corridas diurnas e noturnas. Sim, o jogo alterna entre os períodos do dia competições legais e ilegais, como forma de angariar respeito na comunidade e dinheiro para “tunar” da melhor maneira possível o seu possante. Além disso, a customização dos carros é, mais do que nunca, um ponto totalmente aprimorado, sendo possível fazer milhares de combinações. Esse ponto em especial me lembrou muito daquelas longas horas em que eu ficava modificando meu Nissan Skyline e tirando várias fotos. Mas claro, não é só isso…

Need for Speed Heat
O jogo tem gráficos muito bonitos e uma boa variedade de carros. (Foto: Divulgação)

Volante leve, direção fácil, mas a polícia…

Sinceramente, toda a franquia de Need for Speed é pautada em uma jogabilidade arcade, e isso funciona maravilhosamente bem. Aliás, Need for Speed Heat segue essa fórmula de sucesso e ainda ensina alguns truques ao longo da jogatina, talvez para ensinar aos novatos como se dar bem nas corridas. Nesse ponto, pode-se considerar que o jogo é fácil de ser dominado, embora tenham alguns percalços.

Sim, amigos… A polícia desse jogo é insana. Não dão arrego de jeito nenhum, principalmente no início, onde o carro ainda está meio fraco. Na verdade, nem é só a polícia, mas os próprios adversários. Tente só bater em um rival e veja como ele reagirá. Na maior parte das vezes que tentei dar uma de “espertão”, eles prontamente responderam com uma pancadassa na lateral, que sempre me tirava fora da pista. É irritante, mas mostra que o negócio está sério! E a polícia faz o mesmo, dando trabalho e ficando na sua cola o tempo todo. Mas com o tempo, a gente aprende a enganar os agentes da lei.

Need for Speed Heat | 25 anos em grande estilo!
Corra o máximo que puder da polícia. Foto: Divulgação.
- publicidade-

Agora, nas corridas, confesso ter sentido um misto de dificuldade. Em alguns momentos penei para vencer, mas em outros, foi fácil demais. Tão fácil, que eu não via adversários no meu próprio mapa! Não sei se isso acontecia por conta do tráfego, das disputas nada leais entre os competidores, que em vários momentos saem se batendo loucamente ou até mesmo por algum bug. Mas percebi que, de maneira geral, o jogo está bem balanceado.

Ah, e algo me chamou bastante atenção em Need for Speed Heat: os carros vão se quebrando ao longo das corridas. Sim, finalmente dirigir de forma imprudente pode custar caro. E a polícia se aproveita disso para te prender. Porém, há como subornar os guardinhas (que andam em carrões). Mas o sossego dura apenas por um tempo…

Need for Speed Heat
O guardinha tá pistola! (Foto: Divulgação)

A história e um pouco mais

Em Need for Speed Heat, você assume o controle de um dos vários avatares predefinidos que o jogo disponibiliza, sendo 12 no total, entre mulheres e homens de diferentes estilos e etnias, algo bem parecido com o que é visto em FIFA 20. A partir da sua escolha, você poderá modificar roupas e alguns outros pontos, não sendo esse o principal foco do jogo.

- publicidade -

Sobre a história, ela se passa na cidade fictícia de Palm City, conhecida por suas várias corridas. O enredo consegue ser muito superior ao que é observado no jogo anterior, mas não é algo genial e que faça toda a diferença. Ela é bacana, tem personagens interessantes entre as corridas legais e ilegais (ou dia e noite, como o jogo divide), mas sendo bastante sincero, o jogo é mais divertido pela emoção de sair correndo loucamente por ruas movimentadas do que por ela mesmo.

Need for Speed Heat
Os doze avatares disponíveis. (Foto: Divulgação)

Entre corridas que vão abrindo de dia e a noite e as “missões principais”, o jogo oferece uma variedade considerável de percursos para poder ganhar REP (reputação) e dinheiro. Durante as missões, andamos de forma mais lenta e dialogamos com os personagens, entendendo um pouco mais sobre a vida e o passado de cada um deles. Mesmo não sendo o ponto mais relevante, é interessante poder dar “nome aos bois” e conhecer um pouquinho da trama.

Sobre o modo online, um ponto positivo de Need for Speed Heat, o mundo é compartilhado com diversos jogadores, sendo algo bastante interessante, sobretudo ao você ver a cidade viva, repleta de pessoas reais e seus possantes correndo para lá e para cá. É até comum você estar no meio de um percurso e um desavisado passar voando pelas esquinas de Palm City cheio de policiais na cola. E vice-versa. E olha, isso é SENSACIONAL! Um jogo como esse precisa de um bom modo online e bem, aqui está. 

Need for Speed Heat
As cutscenes são bonitas, mesmo que a história não seja lá grande coisa… (Foto: Divulgação)

Veredito

Sinceramente, Need for Speed Heat me agradou muito em diversos aspectos como disse acima mas, em outros, tive pequenos incômodos. Em algumas pistas, por exemplo, senti que as setas me deixavam confuso. Pode até ser uma desatenção da minha parte, mas isso rolou algumas vezes. Não é só isso, acho que essa coisa de encontrar grafites e quebrar outdoors pela cidade algo meio chato e que acaba poluindo um pouco o mapa. Mas isso não é grande coisa. A jogabilidade foi aprimorada, sendo necessário mesclar o tempo de frenagem com as derrapadas. O famigerado drift já não se torna tão benéfico, reduzindo bem a velocidade do carro. Passar por fora da pista quebrando tudo também, embora seja uma forma interessante de não sair do trajeto e ainda ter uma boa disputa.

O clima de Miami é muito bem retratado em Palm City, embora a cidade tenha um tráfego muito reduzido, o que é, de certa forma, ruim, dando a sensação de que falta algo ali. O mapa é maravilhosamente bem elaborado, bem como os gráficos dos carros e personagens. Aliás, é engraçado ver isso e comparar com Need for Speed Underground 2 que, na altura, era o suprassumo dos gráficos, mesmo com os carros meio “quadradões”. Ainda tratando de alguns aspectos técnicos, a dublagem do jogo é muito bem feita, assim como toda a qualidade de áudio, que simula com fidelidade o ronco de cada um dos modelos e, ao mesmo tempo, alterna a trilha sonora em diversos momentos.

Need for Speed Heat | 25 anos em grande estilo!
A variedade de peças e itens estéticos para customização é um ponto bem interessante do jogo. (Foto: Divulgação)

O que vejo em Need for Speed Heat foi um excelente trabalho da Ghost Games que mescla o velho e o novo de forma bem articulada, tentando reviver o auge da série, ao contrário do que foi visto em Need for Speed Payback. Como um saudosista fã do estilo, ouso dizer que esse foi o que mais se aproximou da “era de ouro”, garantindo boas horas de diversão e customização.

- publicidade -

Ainda acho que a história poderia ser mais bem elaborada e alguns erros como atrasos no carregamento de partes do mapa poderiam ser aprimorados, mas essas são coisas que acontecem e que não tiram a diversão do jogo. 

Need for Speed Heat | 25 anos em grande estilo!

Need for Speed Heat foi lançado no dia 18 de novembro de 2019 para PlayStation 4Xbox One e PC, via Origin. No Metacritic, o título alcançou a média de 72 pontos na versão avaliada. Ainda assim, acredito que o título (e tudo que ele traz em sua bagagem) mereça um pouco mais do que isso.

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

-publicidade-

Notícias relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Siga Nossas Redes Sociais

543,155FansCurtir
31,529SeguidoresSeguir
20SeguidoresSeguir
0SeguidoresSeguir
20,473SeguidoresSeguir
57InscritosInscrever
publicidade: Need for Speed Heat | 25 anos em grande estilo!

Últimas Postagens

Arrowverse | David Ramsey retornará como John Diggle nas séries do canal CW

Meses após o final de Arrow ter acontecido, as séries da DC agora anunciadas como parte do CWverse, anteriormente conhecido como Arrowverse, aos poucos...

O Juiz | Drama estrelado por Robert Downey Jr. é destaque na Netflix

Com o seu lançamento tendo acontecido em 2014 no Brasil e nos EUA, o filme O Juiz chegou recentemente ao catálogo da Netflix como...

Ava | Filme com Jessica Chastain no estilo John Wick chega na Netflix

Sendo um dos filmes que teve o seu lançamento cinematográfico atrapalhado em 2020 por conta da pandemia, o filme Ava é um das adições...

No Limite do Amanhã | Filme com Tom Cruise e Emily Blunt já está disponível na Netflix

Com o seu lançamento tendo acontecido originalmente em 2014, o filme No Limite do Amanhã agora chegou ao catálogo da Netflix como uma das...

Point Break | Remake de Caçadores de Emoção chega ao catálogo da Netflix

Lançado nos cinemas originalmente em janeiro de 2016 no Brasil, o filme Point Break (intitulado como Caçadores de Emoção: Além do Limite em português)...