A 2K não para de surpreender. Depois de chegar a um nível excepcional com o NBA 2K19, eles trazem um pouco mais do mesmo, porém com algumas melhorias que podem elevar ainda mais a experiência de simulador que, apesar de tornar o jogo mais difícil, é um puro deleite para quem ama o basquete. Ainda apresenta evoluções interessante nos modos de carreira e a inclusão da WNBA.

E quer saber todos os detalhes do que achamos do game? Aqui começa mais uma review do Jornada Geek!

Jogabilidade mais real

Isso até poderá desagradar os fãs mais ansiosos para se tornarem logo um astro da NBA virtual, pois, ao contrário das edições anteriores, os movimentos estão mais lentos, e reais, e concentrados na perfeição para que haja um bom aproveitamento.

Um exemplo são os arremessos de três pontos, que mesmo que estejamos jogando com experts como Stephen Curry e Klay Thompsom, a precisão e equilíbrio são crucias para o acerto. Até a versão 2K19, era possível “fazer chover” do perímetro sem mesmo ser um especialista. Ainda que se jogue no modo rookie, será exigido do jogador perseverança para chegar à perfeição, ou seja, o que é na vida real.

NBA 2K20
Movimentos dos jogadores está muito mais real do que nos títulos anteriores (Foto: Divulgação)

Alterações no MyCareer

Além do gameplay, NBA 2K20 também chega com novidades no MyCareer. Na nova saga, somos levados a uma caminhada natural da grande maioria dos astros da NBA. Ao contrário do jogador de rua do 2K18, e do não-draftado do 2K19, nesta edição o personagem passa pelo college e depois chega ao draft da NBA. O legal é a inclusão do Draft Combine, onde passamos por todos os exercícios pré-draft, sob o olhar dos cartolas das franquias.

O modo de criação do avatar agora também é diferente, depois de escolher sua posição e habilidade preponderante, você tem um pacote de skills a serem divididas entre as mais variadas características, porém, dentro do que o jogador se propôs a ser durante sua carreira. O modo online, na vizinhança, ainda tem o grande problema da disparidade. Caso se obtenha a edição Legend, onde são lhe creditado 100 mil VC, a moeda virtual do jogo, você já pode tornar seu avatar excelente, caso contrário, será seu iniciante de overall 60 contra adversários nível 80 a 85. É óbvio que sempre tem a opção de compra de moedas – o que tira, e muito, a competitividade do game.

NBA 2K20
Tornar-se um astro da NBA é o objetivo do MyCareer (Foto: Divulgação)

MyTeam mais divertido

NBA 2K20 também trouxe mais possibilidades para o MyTeam e suas cartas. Além de já ser atrativo esse modo de jogo, sucesso entre todas as franquias de esportes virtuais, os pacotes adquiridos aparentemente estão mais generosos, dando a quem não comprou a edição mais luxuosa, que vem com mimos, a obter uma equipe competitiva logo de início.

Além disso, existe uma roleta na qual pode-se obter pacotes. Outra mudança é no esquema de jogo. Agora, não é possível escalar um jogador em qualquer posição em quadra, como acontecia nas edições anteriores. Aquela coisa de escalar cincos pivôs, ou cinco armadores não é mais possível, obrigando ao usuário saber montar uma equipe equilibrada. Talvez uma das melhores evoluções desse modo.

MyTeam ganhou ainda mais realismo

Um por um, todos por ninguém

Por outro lado, a 2K ainda não soube encontrar uma forma de controlar a comunidade do jogo quando o assunto ainda são as partidas online. Jogar NBA 2K20 conectado ainda apresenta a dicotomia que os anteriores já carregavam: os modos onde é você sozinho são muito divertidos e desafiadores, principalmente no MyTeam, onde existe essa obsessão em ser melhor que seu concorrente ao redor do mundo. Entretanto, nos modos online em que você compõe uma equipe junto com outros usuários, ainda é bem chato. Explico o porquê.

Primeiro, existe a diferença de qualidade. Ainda não há nada que nivele os jogadores, tanto companheiro quanto adversário. Se você começar agora, pode estar jogando com seus 60 pontos perdido em meio a jogadores de nível 80, 90. Além disso, é muito difícil achar alguém que preze pelo jogo coletivo em detrimento ao egoísmo de movimentos diferenciados, arremessos do perímetro sem qualquer equilíbrio ou dunks extravagantes. Continua cada um por si.

NBA 2K20
A comunidade ainda não assimilou o conceito de jogo coletivo (Foto: Divulgação)

Cheguem mais, garotas

Assim como NBA Live trouxe na edição anterior, NBA 2K20 tratou de incluir as equipes da WNBA na nova edição do jogo. Isso tudo pelo o aumento do público feminino, cada vez mais antenados no mundo dos games.

No entanto, só é possível jogar com elas no modo Season, não sendo permitido jogar online, por exemplo. De qualquer forma, é um começo e, quem sabe nos próximos anos, o modo MyCareer apresente a opção feminina para a história.

NBA 2K20
As mulheres estão presentes no novo NBA 2K (Foto: Divulgação)

Veredito

Apesar de não mostrar grandes evoluções gráficas (que continuam excepcionais, com detalhes absurdos, principalmente entre as grandes estrelas), essa mescla de simulador e entretenimento que compuseram a franquia NBA 2K nessa última década fez de cada edição um evento, que nos últimos anos sempre nos traz o mais do mesmo, porém com aqueles detalhes que faz do jogo algo único, uma experiência excepcional. Ao fã de basquete, é irresistível. A quem gosta de um bom jogo, vale o investimento.

NBA 2K20 | Mais do mesmo, só que melhor 1

NBA 2K20 foi lançado no dia 6 de setembro para PlayStation 4Xbox OneNintendo Switch e PC, via Steam, em três edições: Standard, Deluxe e Legend. No Metacritic, a versão avaliada teve média de 78 pontos.

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora