-publicidade-

-publicidade-

Marvel’s Spider-Man | Guerras Territoriais: Segundo capítulo sombrio

Menos estratégia e mais ação no segundo capítulo da DLC

Chegou o segundo capítulo da DLC de três partes do excelente Marvel’ s Spider-Man, desenvolvido pela Insomniac Games. Em Guerra Territoriais, chegamos à metade da Marvel’s Spider-Man: The City That Never Sleeps e a história se segue de onde fomos deixados em “O Assalto”, com o vilão Cabeça de Martelo tomando os holofotes como antagonista principal.

O jogador precisa se aprofundar na nova trama, que explora um pouco do passado da capitã Yuri Watanabe, uma das aliadas mais próximas do Homem-Aranha. Os acontecimentos desse capítulo, assim como os do DLC passado, se passam após a história principal, mas não é necessário terminá-la para jogar.

Menos estratégia, mais ação

Em contraste com o último DLC e em conformidade com uma história mais direta e explosiva, com um gangster louco à solta, as missões dessa etapa do DLC são mais focadas em ação do que nos elementos Stealth que marcaram “O Assalto”.

Ao invés de missões envolvendo outros personagens se escondendo e o uso do robô aranha, o Homem-Aranha ganha objetivos como proteger carros fortes da polícia de ataques dos capangas do Cabeça de Martelo e atacar armazéns de lavagem de dinheiro do criminoso, enfrentando ondas e mais ondas de inimigos sem descanso, assim como missões semelhantes que existem na campanha principal, o que demonstra uma queda na variedade de objetivos que eram um ponto tão forte no jogo base.

Marvel’ s Spider-Man
Cabeça de Martelo, o Hammerhead, toma a posição de antagonista central (Foto: Divulgação)

A dificuldade claramente é bem aumentada se comparada com a campanha original e o primeiro DLC. As missões nos armazéns de fachada tem um nível de frustração totalmente inédito para o jogo. O que é algo bom. Jogadores finalmente tem um desafio, que não é totalmente desbalanceado, e totalmente opcional.

É possível acumular as recompensas das missões e crimes do DLC junto às do jogo, ajudando na tarefa de comprar todos os upgrades e aparelhos disponíveis. Um toque que facilita a vida do jogador tanto na aventura principal quanto nessa complementar. Novos trajes também são disponibilizados. Estes, porém, não contém nenhuma habilidade especial, como era comum nos desbloqueados na campanha principal.

Marvel’ s Spider-Man
Capitã Watanabe tem passado explorado na DLC (Foto: Divulgação)

Novamente, deve-se observar que a duração esperada de gameplay do pacote não é muito elevada. É possível atingir os 100% em algumas horas. Dessa vez, porém, um chefe final inédito nos é disponibilizado, embora a luta não seja tão empolgante com a maioria das existentes no jogo base. A história, apesar de curta, satisfaz bastante, principalmente no destaque dado à capitã Watanabe e o curso notavelmente mais sombrios que os acontecimentos estão tomando.

Veredito

Se você gostou de “O Assalto”, é altamente possível que esse conteúdo adicional também seja de seu agrado. A falta de variedade é, verdadeiramente um golpe a ser sentido, mas o gameplay rápido e história envolventes equilibram a experiência.

Nota bom

Exclusivo para PlayStation 4Marvel’s Spider-Man pode ser adquirido na PlayStation Store por R$ 199,90 a versão padrão e R$ 249,90 a edição digital deluxeMarvel’s Spider-Man: The City That Never Sleeps pode ser adquirido por R$ 76,90 e a nova DLC “Guerras Territoriais” de forma avulsa por R$ 30,90.

*Cópia fornecida pela desenvolvedora.

- publicidade -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jornada Geek + Lolja

Últimas Notícias