Katana ZERO | O ruim é que acaba!

Que venha uma continuação ou mais jogos nesse mesmo estilo!

publicidade:

Katana ZERO está entre nós! Lançado em abril de 2019, o jogo de ação desenvolvido pela askiisoft e distribuído pela Devolver Digital chegou prometendo muita ação e violência no controle de Zero, um ex-militar sem memórias.

Os jogadores, então, devem testar suas habilidades e, principalmente, a paciência, nesse mix de metroidvania e hack n’slash, enquanto buscam de respostas sobre o passado de Zero. Quer saber o que achamos do jogo? Confira nossa review completa!

Apenas uma questão de tempo

Um dos fatores mais interessantes de Katana ZERO é o que a morte significa dentro do jogo: com o protagonista, a morte é apenas um empecilho, que pode ser corrigido ao voltar no tempo. A forma com que o game retrata isso é fantástica, mostrando que o que você, como jogador, faz em cada parte é importante, mas o necessário mesmo é o planejamento de Zero e as formas efetivas de progredir na missão.

Exemplo: ao fim de cada cenário, é mostrado ao jogador um replay de tudo o que foi feito, em preto e branco, mostrando que o planejamento foi suficiente para se progredir e, no caso de morte durante esse preparo, aparece uma tela literalmente dizendo que aquilo não está correto.

Katana Zero
O estilo de plataforma dá um charme a mais para Katana Zero (Foto: Divulgação)

Por várias vezes, por mais que você domine as mecânicas, você vai errar e ter que refazer o cenário todo de novo, o que gera um pouco de irritação algumas vezes. Mas é aquela que sentíamos com os jogos clássicos de plataforma, onde o desafio é recompensador e a sensação de completar uma missão infla seu ego como jogador, afinal, quem não gosta de se gabar por ter passado de uma fase difícil?

História, Trilha sonora e ambientação

Esse para mim é o ponto mais forte de Katana ZERO. Todo o estilo retrô do jogo, remetendo às fitas cassete, com aquele clima neo-noir clássico dos anos 80-90, misturado com trilhas sonoras incríveis, que ambientam cada missão, tornam o título um clássico atual. Aliás, a forma com que as músicas são reproduzidas é interessante, pois no inicio de cada fase, o protagonista coloca fones de ouvido e dá play em uma canção.

Katana Zero
A Direção de Arte é realmente impressionante (Foto: Divulgação)

O estilo de ação em plataforma 2D traz, além do sentimento nostálgico, a máxima de que gráficos e jogabilidade realista, não fazem um bom jogo. Pesando apenas 145 MB, Katana ZERO desbanca muito jogo grande por aí. Todo o trabalho de direção de arte é fantástico e sinceramente, eu não estava preparado para isso.

A história do jogo é contada em lapsos de memória que mesclam com o tempo presente, as vezes o choque é tão grande, que acabamos perdendo a noção do que é realidade e o que é um flashback. São vários elementos que engradecem toda a narrativa. E não adianta eu tentar explicar, você deve ver com seus próprios olhos. É simplesmente fantástico!

Katana Zero
Combate é uma das principais atrações do jogo (Foto: Divulgação)

Veredito

Katana ZERO é um jogo fantástico e seu maior defeito é que a história chega ao fim. Se você curte jogos retrô, no estilo de plataforma 2D esse é o seu jogo. E se você não curte, jogue Katana ZERO também! Você vai gostar, é sério, acredite em mim! De quebra, ainda está 100% legendado em português. O jogo é lindo, imersivo e empolgante, e eu passei horas jogando como se fossem minutos. Que venha uma continuação ou mais jogos nesse mesmo estilo.

Katana ZERO | O ruim é que acaba! 1

Katana ZERO foi lançado para Nintendo Switch e PC, via SteamGOG.com e Humble Store, no dia 18 de abril. O jogo alcançou a marca de 83 pontos no Metacritic na versão avaliada.

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.