Hello Neighbor | A curiosidade matou o gato… de raiva!

Mesmo com a proposta boa, a jogabilidade deixa muito a desejar

publicidade:

Quem nunca teve um vizinho estranho? Pois é. E Hello Neighbor, jogo da tinyBuild lançado em dezembro de 2017, aborda justamente isso, indo um pouco mais além: um vizinho estranho e uma criança muito curiosa que decide pagar para ver o que ocorre na casa ao lado.

Mas será que essa mistura de ação e suspense convencem, ou é só fogo de palha? E a jogabilidade, é boa? Se você quer saber a resposta dessas perguntas e muito mais, confira mais uma crítica do Jornada Geek!

Trama de filme norte-americano

Ambientado em um bairro de subúrbio norte-americano, Hello Neighbor traz um pouco de Sessão da Tarde dentro de si, e isso é interessante. Na história, nosso pequeno protagonista é testemunha ocular de atitudes um tanto quanto suspeitas de seu vizinho, e que fica sem saber o que fazer. Até que decide investigar por conta própria. Como se sabe, a mente das crianças é bastante fértil, e isso abre uma possibilidade de se pensar no jogo como uma viagem infantil. Ou não… Enfim, não trarei spoilers aqui!

E nessa de tentar meter o nariz onde não é chamado que o jogo segue. O objetivo é óbvio: tentar descobrir o que raios o vizinho faz dentro de sua casa. Mas isso não será fácil. O vizinho parece ter faro pra saber que você está querendo entrar ali, e faz de tudo pra dificultar a sua vida. Porém, não consegue correr para além dos limites de suas cercas. Ainda bem, né?

Hello Neighbor
O típico cenário norte-americano. (Foto: Divulgação)

Haja coração, amigo…

Costumeiramente você tomará sustos com Hello Neighbor. Esse estímulo é tão proposital quanto a aproximação do vizinho bizarro, que faz o coração do protagonista bater mais forte e, consequentemente, o nosso! Nesse aspecto, o jogo acerta em cheio e faz a gente dar alguns pulos, confesso.

O jogo oferece variadas formas de invadir o estranho lar, algo que permite que a criatividade fale mais alto. Já dentro do cafofo, o negócio vai mudando, surgindo puzzles para serem solucionados. Tudo deve ser bem calculado, senão já era! Qualquer barulho ou atitude suspeita chamará a atenção do dono da casa. E você não quer ter um fim trágico, não é mesmo?

Hello Neighbor
Olá, estranho… (Foto: Divulgação)

Gráficos e jogabilidade

Não espere gráficos brilhantes e uma jogabilidade extremamente arrojada. Aliás, quando joguei, encontrei alguns bugs bastante chatinhos como ver através das coisas, mas era em momentos muito pontuais e isso pode até já ter sido corrigido. De toda forma, atrapalha um pouco a proposta do jogo. Os gráficos são extremamente leves e funcionam bem nesse estilo, que realmente não precisa ser extremamente elaborado. De toda forma, são texturas bonitas.

Já na jogabilidade, achei que o game poderia ser muito melhor. Em alguns momentos, os movimentos ficam bastante limitados e repetitivos. A visão limitada da criança traz um nível de dificuldade maior e que requer mais atenção do jogador, mas tem momentos em que dá uma sensação de claustrofobia ou algo do tipo. Aliás, no geral, achei o jogo bem difícil. Invadir a casa não é fácil. Outro ponto de extrema relevância é sobre Hello Neighbor não ter um tutorial. É tudo feito no feeling mesmo, algo que não chega a ser um problema. Parece que isso ocorre justamente para aumentar a imersão em sua atmosfera meio sombria. 

Hello Neighbor
Esperando o pirralho tentar invadir a casa pela vigésima vez… (Foto: Divulgação)

Veredito

Hello Neighbor tem uma proposta muito boa, mas poderia ser melhor executado. As limitações na jogabilidade atrapalham demais o jogo, que poderia ser uma obra-prima dos sustos. Isso sem contar que a desgraça do vizinho parece rastrear a casa toda, sendo uma tarefa árdua conseguir se manter lá dentro por muito tempo, algo que acaba sendo frustrante.

Aqui, percebemos que há um pano de fundo interessante, mas que peca na execução, o que é uma pena e relega Hello Neighbor a ser mais um jogo em meio a um mercado extremamente entupido de tranqueiras. Mas quem quiser tentar, que fique à vontade…

Hello Neighbor | A curiosidade matou o gato... de raiva! 1

Hello Neighbor está disponível para PC, via GOG.comSteam, Xbox One, PlayStation 4, Nintendo Switch, Android e iOS. A média do título no Metacritic é de apenas 38 pontos na versão avaliada, ou seja, a mídia acredita que a desenvolvedora errou bastante a mão.

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.