Destiny 2 chegou em seu lançamento, lá em setembro de 2017, dividindo opiniões. Apesar de uma boa campanha e um gameplay muito bem feito, continuou apresentando, pelo menos no início, o mesmo problema do título original: a falta de conteúdo pós-campanha. Relembre aqui nossa review.

No primeiro Destiny, essa falta de conteúdo foi resolvida com a DLC The Taken King, que trouxe tanta coisa que era como se ele fosse um novo jogo. Agora a Bungie repete o feito com Forsaken (aqui no Brasil, Renegados), corrigindo erros de Destiny 2 e expandindo a jogabilidade para criar praticamente um novo jogo.

A narrativa mais fria

Renegados toma um rumo diferente do jogo-base de Destiny 2, contando uma história sobre o luto e o modo como a dor da perda nos leva à ações questionáveis. Na expansão, o Guardião sai em uma missão para se vingar do assassinato de Cayde-6. A campanha se desenrola com a coadjuvante Petra, em sua raiva, abrindo uma caixa de Pandora com terríveis consequências. Tanto nas interações quanto na narrativa, essa é a história mais sofisticada que a série apresentou até hoje.

O jogo realmente começa quando seu personagem fala pela primeira vez em três anos, prometendo matar Uldren Sov, o assassino de Cayde-6. Para isso você deve enfrentar os barões de Uldren.

Destiny 2
Foto: Divulgação

Mais loot

Uma coisa que voltou em Renegados são as peças de armadura e as armas com vantagens aleatórias, sem incluir as exóticas. Isso cria a possibilidade de uma personalização muito mais profunda nos seu personagem, assim como você podia fazer no Destiny original, e também dá longevidade ao jogo com a caça ao loot ideal.

Agora, em todas as áreas públicas, cada fornecedor tem recompensas diárias e semanais para serem concluídas, o que ajuda os jogadores a ganhar materiais e equipamentos para subir de nível. Por fim, o limite de Nível de Luz do jogo é agora é de 600, e a primeira missão dessa expansão começa em 330, então tem bastante grind para fazer, mesmo quando você considera o acelerado progresso inicial para chegar a 500 de Luz. Isso é ótimo, pois com a quantidade de lugares a se explorar e coisas para se fazer, você acaba ganhando muitos níveis e seria péssimo se já chegasse ao nível máximo no meio da expansão.

Destiny 2
Foto: Reprodução

Chegando ao Engdame

A Cidade dos Sonhos se abre após a campanha como a primeira zona dedicada ao endgame de Destiny. Todo o mapa é ótimo para exploração, com dezenas de baús escondidos, chefes secretos, portais mágicos e colecionáveis ​​abundantes que são uma alegria para descobrir com os amigos.

O novo endgame também esconde uma inovação que abusa da maior qualidade de Destiny. A conclusão do incrivelmente difícil raid Last Wish desencadeou novas atividades em toda a área, com mais atividades chegando periodicamente.

Destiny 2
Foto: Divulgação

Essa sensação de um cenário de jogo em evolução deve ser o modelo para a série avançar, deixando os jogadores sentirem que estão em uma jornada dinâmica que está mudando diante de seus olhos e em resposta ao que ele fazem no jogo.

PvP também com muita novidades e mudanças

Lá no cantinho da Torre está um novo personagem, chamado The Drifter. Ele explica um novo modo competitivo PvE e PvP misto chamado Gambit (Artimanha, em português): duas equipes de quatro jogadores competem umas contra as outras tentando coletar medas de inimigos. 75 precisam ser coletadas por uma equipe antes que possam convocar um chefe. A ideia é derrotar o chefe antes do outro time para ganhar a rodada.

Destiny 2 – Artimanha
Foto: Reprodução

O que é interessante sobre este modo de jogo é que um jogador do seu time pode pular através de um portal para invadir e sabotar o time oposto. É muito divertido de jogar com uma equipe bem entrosada. E Artimanha é uma maneira fácil de subir de nível devido aos engates de recompensa que você ganha ao subir de rank, que também acontece muito rápido.

Os modos de jogo regulares do Crucible apresentam grande parte da mesma jogabilidade clássica que desfrutamos no Destiny original. O 6v6 foi transformado em um modo de jogo permanente. O mais interessante no Crisol (fora que agora espingardas são viáveis), é ver as armas com atributos aleatórios. Além disso, houve algumas mudanças na maneira como você captura as Zonas no Controle, pois elas agora são bloqueadas por 15 segundos antes de serem totalmente redefinidas quando você captura as três zonas.

Destiny 2: Renegados
Foto: Reprodução

Um jogo totalmente polido e refinado ao máximo

A Bungie fez um excelente trabalho, não apenas criando conteúdo suficiente para a quarta temporada e início do segundo ano do jogo, mas para reviver um jogo que capengou após seu lançamento inicial. Tanto faz se você prefere PvE ou PvP: Renegados atende a ambos os jogadores, mesmo com o novo divertido e exclusivo modo Artimanha, e a variedade de prêmios em todas as áreas atuais e anteriores.

Todos os jogadores queriam mais conteúdo e foi exatamente isso que chegou. A única falha da Bungie foi em levar um ano para entregar isso. Para quem jogou Destiny 2 no lançamento e pretendia ficar muitos meses no game, a demora com certeza os afastou. Pior ainda, é que agora esses jogadores precisam comprar uma nova expansão para desfrutar o que havia sido prometido. Mas se você não se importa em pagar novamente ou se você é um novo jogador, tenha a certeza de que Renegados é o melhor estado em que a série Destiny 2 já esteve.

Nota ótimo

Destiny 2: Renegados está disponível como uma expansão, ou como um pacote completo, contendo todo o conteúdo disponibilizado anteriormente, em todas as versões do título: PlayStation 4Xbox One e PC, via Battle.net. No Metacritic, a expansão atingiu a média de 82 pontos na versão avaliada.

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here