Death Stranding para PC imagem 1
Divulgação

Classificação:

nota surpreendente

Sendo um jogo do criador do Metal Gear Solid, Hideo Kojima, Death Stranding é naturalmente repleto de personagens bizarros, gameplays longas e cenas indulgentes. Mas é nos trechos longos e tranquilos entre tudo isso, quando é apenas você caminhando sozinho por um deserto pós-apocalíptico estranho e assustador, onde ele realmente brilha. São nesses momentos que este jogo é bem diferente de tudo aquilo que eu já experimente até hoje.

Na trama você controla Sam Porter Bridges (interpretado com um carisma estranho e estóico de Norman Reedus, do The Walking Dead), um mensageiro que entrega carga pelo o que resta dos Estados Unidos. Um cataclismo sobrenatural chamado Death Stranding levou o último da humanidade às cidades subterrâneas, deixando a superfície destruída e varrida pelo vento, atormentada por fantasmas sugadores de almas chamados BTs, chuva que envelhece rapidamente tudo o que toca e outras estranhezas.

Sua missão é caminhar pela América do Norte, da costa leste a oeste, conectando assentamentos dispersos à Rede Chiral – um sucessor espiritual da Internet – à medida que avança. Por que Sam? Ele é um carregador talentoso, com um representante para entregar as coisas a tempo pela Fragile, a rede de entregas.

Mas, mais importante, ele pode detectar BTs – que são invisíveis aos outros – com a ajuda de um bebê pequeno e assustador amarrado ao peito. O jogo nos força a entender que os chamados “bebês-ponte” são apenas equipamentos, não pessoas, mas Sam não pode deixar de formar um vínculo com a criança estranha. Ah, e Sam também é imortal, o que o torna o candidato perfeito para, como dizem seus superiores de maneira não tão sutil, tornando a América inteira novamente.

Death Stranding para PC Sam em viagem
Divulgação

Desafios e solidão nos acompanham ao longo de Death Stranding

A maior parte do seu tempo em Death Stranding é gasta ao ar livre, vagando lentamente de um lugar para outro buscando suprimento. Mas o meio ambiente e os muitos desafios que são apresentados para você fazem com que essas viagens valham a pena. Essa paisagem curiosamente escandinava é serenamente linda, com um grande senso de escala e uma atmosfera encantadora. Enquanto se atravessa o continente, é possível ver enormes cachoeiras em cascata, montanhas nevadas, fissuras vulcânicas que vomitam vapor, rios furiosos, florestas densas e vastas planícies cobertas de grama – e tudo parece e soa impressionante no PC, que desempenha de forma limpa e completa o 4k.

Death Stranding é secretamente um brilhante simulador de caminhadas e montanhismo, e cada pedaço de terreno acidentado que você encontra é um quebra-cabeça a ser resolvido. Se você apressar as coisas, Sam pode tropeçar, cambalear, perder o equilíbrio, ser arrastado por rios poderosos ou descer ladeiras íngremes – perdendo ou danificando a carga no processo.

Alguns trabalhos parecem impossíveis. De pé ao pico de uma montanha, a neve chicoteando, a carga frágil presa a cada centímetro do seu traje, você se pergunta como conseguirá superar isso. Mas você liga, um passo de cada vez, pacientemente colocando escadas e subindo cordas, aproximando-se do seu destino. Ao longo do caminho, você pode ter que entrar no modo Metal Gear e passar por BTs ou lidar com condições climáticas extremas, como nevascas desorientadoras. Você pode até ser nocauteado por terroristas e ter sua carga roubada, forçando você a entrar furtivamente no acampamento e levá-la de volta. Mas depois de tudo isso, você consegue, e é incrível.

Se isso parece muito trabalho duro? Com certeza é, e de muita paciência também. Mas uma das minhas coisas favoritas sobre o Death Stranding é como ele fornece novos aparelhos e ferramentas para gradualmente facilitar as coisas. À medida que avança na história, você desbloqueia um conjunto quase esmagador de kits, incluindo luvas elétricas para escalada mais rápida, granadas de sangue que matam BTs, e exoesqueletos mecânicos que permitem lidar com mais peso, enfrentar terrenos mais difíceis, ou correr mais rápido.

Você ainda tem acesso a veículos, incluindo um trike elétrico. No entanto, você só pode carregar tantas coisas de uma só vez; portanto, há um bom elemento estratégico para decidir qual equipamento levar ou sair antes de embarcar em uma entrega longa.

Death Stranding para PC Sam em batalha
Divulgação

Evolução, equipamentos e estratégia também fazem parte de Death Stranding

Você desbloqueia armas mais tarde no jogo, tanto letais quanto não letais, mas fiquei impressionado com a forma como eu era capaz de jogar a maior parte do Death Stranding sem usá-las – exceto por algumas peças inevitáveis. Existem dezenas de maneiras de lidar com BTs e terroristas, mas sempre há a opção de evitá-los. Esgueirando-se por campos terroristas, o DNA de Metal Gear Solid é fortemente sentido. O movimento do personagem, e como as armas se sentem, também é semelhante ao MGSV uma marca registrada do Kojima.

Infelizmente, ou felizmente (depende do ponto de vista), a história é o elo fraco do Death Stranding. Os golpes gerais são ótimos (gameplay, render, exploração, etc), e a missão de Sam de conectar uma civilização fragmentada é um gancho eficaz. Mas muitos detalhes são contados de maneiras cansativas, seja através de cenas longas e exageradas (outra marca do kojima), e-mails com excesso de texto ou conversas de rádio desconexas.

A mitologia é uma sopa desconcertante de substantivos, e achei os personagens difíceis de amar, apesar do extraordinário realismo de seus rostos cheios de lágrimas. O elenco é ótimo, no entanto. Mads Mikkelsen é um vilão envolvente e carismático, e há uma aparência sobrenatural convincente na performance de Léa Seydoux como colega de correio Fragile.

Percebe-se claramente, ou em muitos aspectos, por que o Death Stranding é um jogo tão divisor de águas, mas todo receio que tenho sobre isso acaba sendo extinguido pela magnificência de caminhar por aquela região selvagem e arrebatadora.

É um jogo incrivelmente lento, com uma quantidade quase cômica de retorno, especialmente no final. No entanto, de alguma forma, isso me manteve interessado o tempo todo. É verdade que um simulador de entrega ponderado e pensativo será difícil de vender para muitas pessoas. Mas se você valoriza jogos que desafiam o gênero de se superar, ser stealth, e ter paciência, recompensa a todo esse caminho lento, Death Stranding é um passeio selvagem que vale a pena fazer, mesmo que tropeça ao longo do caminho.

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games do Jornada GeekAproveite também para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitter e instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here