-publicidade-

-publicidade-

Assassin`s Creed Valhalla | Review

Jogo foi lançado pela Ubisoft há alguns dias.

Imagem promocional de Assassin`s Creed Valhalla
Divulgação

Classificação:

Assassin`s Creed Valhalla | Review

Iniciada no ano de 2017, a franquia de games Assassin’s Creed acabou se tornando um grande sucesso para a Ubisoft desde o seu primeiro lançamento. De lá pra cá são 13 anos de diversos títulos, que por sua vez também passaram por muitas ambientações e tiveram personagens de destaque. Entre eles, é claro, Ezio Auditore, que foi o responsável por protagonizar a história mais longa até hoje. Obviamente, com a evolução também vieram mudanças, sendo as maiores delas nos últimos anos com Origin e Odyssey. E assim, agora Assassin’s Creed: Valhalla chegou ao mercado buscando um equilíbrio entre as abordagens e com o objetivo de unir novos e antigos jogadores da franquia. Mas será que vale realmente a pena? Bem, você poderá tirar a conclusão ao longo do nosso texto.

A trama de Assassin`s Creed Valhalla

Assassin’s Creed Valhalla é situado no final do Século IX, uma época em que as tribos Nórdicas estavam saindo de suas casas na Escandinávia e velejando para os diversos reinos divididos conhecidos como Inglaterra. É aqui, durante esta época de transição, que você assume o papel de Eivor e passa a liderar seu povo para uma nova terra, em busca de um novo lar. Ao embarcar na épica jornada Viking de Valhalla, você passa a liderar grupos mortais de invasão, lutando assim em batalhas massivas, e construindo um próspero assentamento, tudo com o contexto histórico da Inglaterra no Século IX.

O protagonista, jogabilidade e os gráficos do novo Assassin’s Creed

Um dos pontos mais interessantes sobre Assassin’s Creed Valhalla é o fato de que você desta vez pode escolher o sexo do seu protagonista logo no início, enquanto ainda controla Layla Hassan, dando assim dando continuidade ao seu arco da história iniciado em Origins. Além disso, desta vez ambos os sexos se tornam canônicos para a narrativa da franquia, o que faz ainda com que você possa alterar a sua preferência durante a trama.

Com o seu protagonista definido, a história de Eivor então começa a ser contada ainda em sua terra natal. É também neste ponto que já começamos a notar pequenas alterações na jogabilidade, muito disso justamente pelo estilo Viking, que desta vez é extremamente imposto na trama e no desenvolvimento deste título. Principalmente, é claro, se você decidir utilizar os tradicionais machados em combate.

No geral, as maiores modificações que notei sobre este aspecto em Assassin’s Creed Valhalla foram justamente essas. O que, é claro, sempre agrada por nos situar de uma forma melhor em seu contexto. Entretanto, como praticamente todo jogo da franquia, no início passamos aos poucos também por um tutorial de comandos básicos envolvendo comandos de ataque, esquiva, pular, correr e as características principais da franquia.

Sobre os gráficos, tive o prazer e a possibilidade de desde o início jogar Valhalla já no Xbox Series X. De tal forma, já iniciei este novo capítulo justamente sentindo uma certa diferença no que via, com o jogo rodando aos 60 fps desde a primeira cena. Além disso, muitos cuidados foram claramente tomados desta vez, incluindo até mesmo as pegadas da neve que não se apagam. Alguns defeitos ou inconsistências ainda existem, é claro, mas a melhoria aqui foi extremamente gratificante para a minha experiência.

Um jogo de grandes mapas e muitas missões

Imagem de Assassin's Creed Valhalla
Divulgação: Imagem promocional de Assassin’s Creed Valhalla

Em um momento em que muitas vezes pagamos 250, 300 reais por um jogo com poucas horas de duração, Assassin’s Creed Valhalla também consegue se destacar pelas suas enormes dimensões. Os mapas apresentados aos jogadores e jogadores do novo título da Ubisoft são realmente extensos e recheados de possibilidades para grandes explorações. Ou seja, fazendo assim com que o custo benefício do mesmo seja realmente algo evidente.

Para se ter uma ideia, seguindo o arco principal para o desenvolvimento da história de Eivor, e contando com algumas missões paralelas até o seu desfecho, o jogo leva muito mais que simplesmente 15/16 horas para ser concluído. E se não bastasse, ele ainda pode se tornar muito maior caso você decida explorar os mapas em cada detalhe.

Vale a pena jogar Assassin’s Creed Valhalla?

Com certeza vale a pena jogar Assassin’s Creed Valhalla. Seja você um fã antigo da franquia, ou alguém que esteja chegando agora, certamente já ouviu muitos comentários sobre a sua trajetória ao longo dos últimos anos. E muitas delas, é claro, envolvem justamente os seus altos e baixos. Entretanto, fica cada vez mais claro através dos títulos recentes que a Ubisoft está buscando explorar de uma forma melhor a sua franquia de games, entregando assim novas motivações e abordagens realmente aguardadas ao público.

Desta vez, com a temática Viking em alta, a empresa acertou em cheio na abordagem da sua nova trama. Seja através da exploração, a necessidade de crescer o acampamento do seu personagem, ou no desenvolvimento da história principal com presença de figuras históricas, tudo neste novo capítulo parece ter sido feito e trabalhado nos mínimos detalhes. É uma experiência realmente completa e que vale a pena ser aproveitada em cada minuto possível. A história de Eivor  em Assassin’s Creed Valhalla é incrível, bem detalhada, e soma muito ao que vem sendo construído. E com o seu desfecho, agora ficamos também na espera do que mais a Ubisoft pode nos reservar para o futuro.

*Texto também escrito a partir da experiência no Xbox Series X enviado para o Jornada Geek, com o código fornecido pela Ubisoft.

Assassin’s Creed Valhalla já está disponível para Xbox Series X, Xbox One, PlayStation®5, PlayStation®4, Stadia e PC. 
Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games do Jornada Geek. Aproveite também para curtir a nossa página no facebook, além de nos seguir no twitter, instagram e também no Google News.
Assassin`s Creed Valhalla | Review
Marco Victor
Fundador do Jornada Geek, formado em Jornalismo pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (atualmente conhecido como UniAcademia), mas também um grande amante de filmes e antigo frequentador de locadoras. Outras paixões também existentes estão em Séries de TV, HQs, Games e Música. Considera Sons of Anarchy algo inesquecível ao lado de 24 Horas, Vikings e The Big Bang Theory. Espera ansioso por qualquer filme de herói, conseguindo viver em um mundo em que você possa amar Marvel e DC apesar de ter no Batman e As Tartarugas Ninja como os seus heróis favoritos.
- publicidade -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Jornada Geek + Lolja

Assassin`s Creed Valhalla | Review

Últimas Notícias