Ape Out | Corra pela liberdade!

Devolver Digital entrega mais um jogo independente de alta qualidade

publicidade:

Os jogos independentes estão ficando cada vez melhores e isso não é novidade pra ninguém. Mas sempre que um título é lançado, a comunidade gamer fica receosa em adquiri-lo – a não ser que tenha um hype sobre a produção. Quando foi lançado, Ape Out passou despercebido por mim. O smash ‘em up distribuído pela Devolver Digital para Nintendo SwitchPC, via Steam, pode ter tido uma divulgação tímida, mas isso não nos importa. O que vale aqui é a qualidade.

E é fugindo de várias noções pré-concebidas de jogos indies que irei me pautar nessa crítica. Se você está tão curioso como eu para explorar os mais variados ambientes em busca de liberdade e carnificina, confira as minhas impressões abaixo!

História pra quê?

Em Ape Out, a história pouco importa. Sim, eu que geralmente sou um defensor das boas narrativas adianto de antemão que ela não fará diferença aqui. Para sobreviver e fugir de diversas situações, o nosso gorilão pouco se importará com isso também. Tudo o que ele deseja é ser livre e também espatifar alguns inimigos. Por qual motivo não fazer isso, não é mesmo?! Vale deixar claro aqui que a violência é explícita em toda a jogatina. Corpos, pedaços e sangue serão vistos o tempo todo.

A trama aqui é jogada em “discos”. Sim, cada capítulo conta com uma espécie de disco. Cada vez que você termina um, surge outro, e assim vai. Ou seja, há uma certa divisão presente. O que muda de fato é a ambientação de cada capítulo e os seus níveis de dificuldade, bem como as trilhas sonoras, que são bem bacanas e seguem as nossas atitudes ao controlar nosso primata furioso.

Ape Out
A violência é o traço mais marcante de Ape Out. (Foto: Divulgação)

Jogabilidade e gráficos

Ape Out é o típico jogo simples e despretensioso que nos prende por horas. Sua jogabilidade, extremamente básica, é uma delícia. Ela conta com visão de cima que dá um panorama de boa parte da fase. A fluidez do game nos faz querer terminar as missões o mais rápido possível. Porém, é só nos desatentarmos que boom!, morremos. E é aí que mora o erro: a pressa acaba sendo uma inimiga, nessa gana de vencer a todo o custo. E ao tomar dois tiros, voltamos para o início do mapa. Tudo bem, eles não são grandes, mas são extremamente intensos. Se utilizar de pedaços de corpos, por exemplo, é uma excelente maneira de sobreviver, derrubando inimigos distantes que contam com armas poderosas. É bom ressaltar: tudo deve ser friamente calculado em Ape Out, incluindo a sua raiva.

Graficamente, o jogo não apresenta gráficos de primeira geração, mas usa e abusa de elementos que podemos chamar de “artísticos”. O sangue, as cores variadas, tudo ali tem um sentido. É simplesmente minimalista e incrível. 

Ape Out
Use até os inimigos para se defender de tiros. (Foto: Divulgação)

Veredito

Vocês devem ter percebido que a crítica foi bastante objetiva. Ela segue exatamente a proposta de Ape Out. O jogo vai direto ao ponto, sem rodeios. E toda essa simplicidade da jogabilidade, combinada com sua arte gráfica conseguem ser cativantes, sendo um ótimo (e extremamente violento) smash ‘em up.  No Metacritic, o título é avaliado com a média de 82 pontos, sendo uma considerável pontuação para um game indie.

Ape Out | Corra pela liberdade! 1

*Review elaborado usando a versão de PC do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.