De volta ao Brasil, a Mad Catz, empresa voltada para periféricos gamer de alta performance, gentilmente nos cedeu o modelo do mouse R.A.T. 8+ para análise durante a BGS 2019. Agora, quase um mês após a feira, trazemos nossas impressões de tudo que achamos, destrinchando o modelo para além de dados técnicos, mostrando um pouco sobre o produto e, claramente, dando uma opinião sincera sobre. Confira abaixo nossas impressões em mais uma análise do Jornada Geek!

Periférico high-end

Antes de mais nada, é interessante de se ressaltar que o R.A.T. 8+ é um modelo high-end. E o que isso significa? Pois bem, são produtos feitos com os melhores materiais, algo que influencia diretamente nos preços. Pra se ter uma ideia, a Terabyte, primeira loja a comercializar o modelo no país, o vende por R$590,73 à vista. Ou seja, a expectativa ao se adquirir um produto como esse é alta, visto o custo do investimento. Porém, como sabemos, podemos ter grandes decepções. Mas esse não é o caso do R.A.T. 8+, e eu explico os motivos que me levaram a isso.

Mad Catz R.A.T. 8+
O visual do R.A.T. 8+ faz todo o sentido quando ele é utilizado. (Foto: Divulgação)

Características técnicas

O Mad Catz R.A.T. 8+ é um mouse óptico, com fio, equipado com o sensor PIXART PMW 3389, chegando a incríveis 16000 DPIs, framerate de 16,000, aceleração de 50 g, tracking speed típico de 400 IPS. Sua taxa de atualização USB chega a até 2000 Hz e um tempo de resposta de quase 0,5 ms, algo um tanto quanto surpreendente (mas que a gente praticamente não percebe). Para efeito de comparação, os modelos de mouse convencionais usam em média 125 Hz, com um tempo de resposta de 8 ms. Tais características tornam muito mais veloz o tempo de resposta do modelo, evitando possíveis lags nas ações, algo que faz toda diferença para os jogadores.

Além disso, o modelo conta com 11 botões customizáveis. Os botões direito e esquerdo utilizam switches OMROM que prometem aguentar 50 milhões de cliques, tendo bastante duração e uma ótima resposta tátil. O corpo é confeccionado em plástico e metal, além do RGB configurável via aplicativo, algo que falarei mais adiante. Tais partes dão o tom do visual robótico do modelo, que tem sua funcionalidade, acredite. Na imagem abaixo, é possível perceber a disposição e funções dos botões do modelo.

Mad Catz R.A.T. 8+
A distribuição de botões e funções padrão do mouse, que pode ter todos os botões configurados para múltiplas funções. (Foto: Divulgação)

Estilo “cyberpunk

Pois bem, a primeira coisa que as pessoas notam no R.A.T. 8+ é a sua “estileira”, que remete a um visual cyberpunk, meio robótico, com luzes e tudo mais. Incrivelmente, ao destrinchar o modelo, percebi que tudo isso faz sentido para além do estético. Sua aparência também é relacionada ao seu vasto poder de customização, onde é possível trocar a base de encosto da mão (palm rest) e dos dedos (polegar e o famoso “mindinho”).

Na sua parte inferior, bem abaixo do suporte da mão (palm rest), encontra-se uma espécie de chavinha de fenda que serve para parafusar e desparafusar as partes removíveis e modificáveis. E ao perceber isso ao longo do uso, vi que essa parte também está ligada ao controle do peso, onde se encontram três círculos de metal que são responsáveis por isso. Me surpreendi bastante com as várias opções.

Mad Catz R.A.T. 8+
A edição especial do R.A.T. 8+. Na foto, podemos perceber as laterais modificáveis do modelo, que é semelhante ao padrão, mudando apenas as cores. (Foto: Divulgação)
Mad Catz R.A.T. 8+
Aqui podemos perceber a customização do suporte do polegar (thumb rest), que pode ir pra frente, pra trás e abrir mais ou menos, encaixando a mão do usuário da melhor maneira possível. (Foto: Divulgação)
Mad Catz R.A.T. 8+
O controle de peso do R.A.T. 8+ é incrível e faz uma considerável diferença no manuseio. (Foto: Divulgação)

Altamente configurável

Como dito, o R.A.T. 8+ é bastante customizável. Mas essa questão vai além da parte física. O aplicativo do modelo é interessantíssimo, contando com várias possibilidades de configuração que vão das opções de RGB, que são razoáveis, não tendo tantos efeitos, mas muitas cores; até a possibilidade de modificar a velocidade do sensor e outras tantas coisas. Em um caso específico, consegui configurar o game Battlefield V para usufruir ao máximo do mouse, trocando de armas e lançando granadas a partir das configurações editadas por mim. E acredite, esse tipo de “detalhezinho” faz uma diferença absurda no meio da ação.

Mesmo não tendo feito muitas modificações, gostei de poder alterar detalhes como a velocidade de resposta, a taxa de captação (polling rate) e muito mais. Esse tipo de escolha permite uma infinidade de possibilidades, onde o usuário pode achar a configuração perfeita para seu estilo de jogo.

Mad Catz R.A.T. 8+
O aplicativo do R.A.T. 8+ traz uma série de configurações que vão desde as cores do RGB até a escolha de funções para cada um de seus 11 botões. (Foto: Divulgação)

Percepções durante o uso

Largando um pouco de lado a questão técnica do R.A.T. 8+, queria falar da sensação que tive ao utilizá-lo em tarefas diárias e durante longas horas de jogatina. O modelo parece presar muito pelo conforto do usuário, sendo mais ergonômico do que o convencional, encaixando-se como uma luva nas minhas mãos. E isso só foi possível por conta das partes alteradas, como as imagens ao longo do texto mostram.

Ao adequar o modelo para o meu tipo de pegada, tive uma mudança brusca na forma de jogar. Ao longo da jogatina em FPSs, troquei os pesos e pude ir sentindo qual configuração ficaria melhor pra mim. Particularmente, gosto do mouse mais pesado, pois estabiliza os meus movimentos. O sensor responde incrivelmente bem, dando uma pequena vantagem, de fato. Outro ponto também que fez muita diferença foi perceber que o R.A.T. 8+ desliza de uma maneira muito suave no meu mousepad speed. Essa fluidez do movimento proporciona uma ótima sensação ao longo de seu uso.

Outro ponto que pode ser banal para alguns foi o uso do botão de precisão, que serve basicamente para ajudar no controle da mira quando utilizamos um rifle de precisão em jogos de tiro. No meu caso, utilizo a velocidade de 800 DPI e, quando ativo o botão, ela cai pela metade, algo que também pode ser configurado no aplicativo.

Confesso ter testado outros modelos de marcas conhecidas, mas fui surpreendido pelo R.A.T. 8+. Logo de cara, fiquei perdido com tantas funções, mas logo consultei o manual e pude entender o seus mecanismos. Aliás, é muito importante que a gente sempre leia os manuais para retirarmos o melhor dos produtos que utilizamos.

Mad Catz R.A.T. 8+
A parte de suporte da mão (palm rest) também é modificável, contando com escolhas entre superfície lisa ou áspera. (Foto: Divulgação)

Veredito

O R.A.T. 8+ é surpreendente, sobretudo se você sair de um modelo de mouse simples, como foi meu caso. A diferença é notável, algo percebido desde a customização física do modelo até as configurações elaboradas via software. As suas configurações justificam o valor de mercado, sendo um modelo caro, mas de qualidade. Os seus únicos pontos negativos são o preço, um pouco alto para um mouse com fio – embora a qualidade seja grande -, e o outro é o fato dele não ser adaptável para a mão esquerda, algo que pode ser um problema para esse perfil específico de usuário.

O modelo atendeu (e superou) minhas expectativas enquanto jogador casual, proporcionando conforto em uma experiência completamente modificável.

Análise | Mad Catz R.A.T. 8+ 1

*O periférico foi gentilmente cedida pela fabricante para a realização desta análise.

publicidade: