MONSTER HUNTER WORLD | Conquiste os maiores monstros desse universo épico

Game garante muitas horas de pura diversão, sozinho ou no cooperativo

publicidade:

São poucas as séries que são de nicho e ainda assim atingem o sucesso. Reverenciada no Japão, Monster Hunter nunca se encaixou ao lado de outros títulos AAA no ocidente por ser muito estranho ao que os jogadores estavam acostumados.

As coisas melhoraram ao longo dos anos, com títulos como Monster Hunter Tri para Wii, 3DS e Wii U. Agora, Monster Hunter World é a evolução dos seus antecessores, polindo as arestas e trazendo tudo o que jogo de sucesso sempre tem.

Lançado em 26 de janeiro para Xbox One e PlayStation 4, com a versão para PC chegando em no segundo semestre, Monster Hunter World marca o retorno da franquia aos consoles domésticos. Carregado de visuais espetaculares e uma atmosfera de encher os olhos e tirar o fôlego, ele oferece a mais simples e pura experiência do que se propõe em seu próprio nome: caçar monstros.

O que é Monster Hunter World

A Capcom fez uma enorme aposta ao introduzir a série Monster Hunter nos consoles de mesa. O jogo sempre foi um favorito no Japão, mas nunca deslanchava de vez no ocidente.

Por isso, a produtora sempre foi muito conservadora no seu investimento, sempre o limitando aos consoles portáteis como o PSP, PS Vita e Nintendo DS, que sempre venderam muito bem lá na terra do sol nascente.

Você achar que isso é um certo exagero, mas para saber a real situação do game vamos ver o comparativo: Monster Hunter 4 Ultimate, para Nintendo 3DS, vendeu mais de 2 milhões e 600 mil cópias no Japão.

O mesmo jogo vendeu, no resto do mundo inteiro, 1 milhão e 300 mil cópias – que foi muito comemorado por ser a primeira vez que a franquia batia a marca de um milhão. Mesmo assim, somente o mercado doméstico japonês tinha o dobro de jogadores de Monster Hunter que o resto do planeta.

A série é um sucesso completo por lá. Ao sair do PS Vita e ir para o Nintendo 3DS, ela sozinha aumentou as vendas do já popular portátil da Nintendo. O Universal Studios Japan tem, ao lado do seu parque temático de Jurassic Park, um parque para Monster Hunter.

E o resto do mundo nem sabia o que era a série.

Crítica Monster Hunter World
Foto: Divulgação

Quebrando a barreira

Para fazer o jogo funcionar aqui, muita coisa foi mudada. Diversas mecânicas foram levemente simplificadas (mas não empobrecidas), como a gestão dos itens que você adquire e o funcionamento das habilidades de armaduras.

A interface é quase a mesma, mas com algumas melhorias também. O sistema de jogo, que antes era feito quase que sem nenhuma consideração aos novos jogadores, agora te apresenta as mecânicas de forma gradual e com riqueza de detalhes. Ao liberar todos os anexos da sua base de operações, você já estará dominando os principais aspectos do game.

Dessa forma, Monster Hunter World é um jogo projetado para ser mais convidativo do que seus predecessores. Ele é a primeira encarnação moderna de uma franquia que há muito tem batido na trave. Finalmente a Capcom alcançou seu objetivo.

Uma história que te leva adiante

Por toda a sua complexidade, o ponto de Monster Hunter está aqui no título: você caça monstros. Seu caçador, personalizado em um criador de personagem bastante robusto, começa o jogo viajando para um Novo Mundo cheio de ecossistemas lindos e exuberantes repletos de criaturas grandes e pequenas (embora geralmente gigantes e irritadas).

Seu principal inimigo é Zorah Magdaros, uma fera coberta de magma e do tamanho de um arranha-céu. Mas para chegar até ele, você tem que passar por uma grande série de monstros, cada um distinta e lindamente caracterizados. Para cada monstro caçado, novas armas e armaduras, fazendo você acumular o poder de fogo necessário para a batalha épica.

monster-hunter-world-review-01
Foto: Divulgação

Muitas horas de jogo pela frente

Em grande parte, você pode extrair materiais desses monstros para obter seus itens, que podem ser novos conjuntos de armaduras ou armamentos ainda mais poderosos que você pode usar para derrubar monstros ainda maiores.

É um loop de jogo meticulosamente projetado, e não importa a plataforma, é um aspecto que permanece tão viciante quanto ocorreu há treze anos atrás, no primeiro Monster Hunter.

Dado isso, leva muito tempo para conquistar tudo que o jogo tem a oferecer. Ao terminar a campanha principal, você já vai acumular umas 20 a 30 horas de jogo. Nisso é apresentado o segundo arco: outra campanha onde o jogo fica bem mais pegado e te obriga a explorar todas as mecânicas para ter sucesso nas caçadas. Só aí já são mais 20 a 30 horas outras vez.

Isso acontece porque você não pode pular simplesmente de missão em missão. Lembre-se: você está caçando monstros gigantes e ferozes, mas você não tem superpoderes. Cada alvo exige preparação, conhecer os ataques da criatura, sua forças e fraquezas.

Ao atingir um determinado ponto do game (logo ao final da primeira campanha), se você não estiver devidamente equipado para explorar as fraquezas da sua presa e defender-se de seus ataques, vai levar uma surra monumental.

Tudo o que você precisa saber está no jogo. Ao caçar um monstro e investigar sua biologia, você descobre mais sobre ele e pode se preparar melhor. Está tudo anotado em seu bestiário, que pode ser consultado em qualquer lugar a partir do menu.

Como encará-los de igual para igual

O combate foi refinado ainda mais em World. Eu nunca havia pensado nas semelhanças entre Monster Hunter e Dark Souls, o sentimento de presa e caçador que podem ser inverter a qualquer momento, presente na série da From Software, é muito forte aqui também.

Você deve aprender a ler o comportamento do seu inimigo, quando eles estão prestes a atacar, ou quando estão cansados. Você também precisa saber onde eles são mais vulneráveis ​​para causar o máximo de dano possível, que eles fujam de você.

Além disso, você deve sempre estar ciente da sua vida, a condição da sua arma e várias status que podem te afetar. Toda caça pode ser desafiadora. Eu me encontrei usando todas as minhas três chances contra certas criaturas, conseguindo com uma mistura de sorte e adrenalina às vezes.

monster-hunter-world-review-02
Foto: Divulgação

Alguns monstros ficam ainda mais agressivos quando sofrem muito dano, o que significa que quando você acha que os dominou e já está pensando nas armas que vai forjar com suas partes, ele te faz em pedaços.

Ter lucros menores à medida que você usa suas três chances de completar uma missão é estranhamente “recompensador”. Após você terminar uma batalha épica de quarenta minutos contra um inimigo tão poderoso, você sente que teve muita sorte e escapou por pouco, valorizando ainda mais sua vitória.

Enquanto você pode encarar monstros por conta própria, o jogo cooperativo tem sido uma grande parte da série ao longo dos anos, e em World não é diferente. Jogue em uma sessão on-line e outros jogadores podem se juntar a você, mesmo que você esteja no meio da batalha, enquanto você tem dispara um pedido de SOS se estiver com extrema necessidade de ajuda.

Naturalmente, jogar com amigos com bate-papo de voz em movimento acabara sendo o mais divertido.

monster-hunter-world-review-03

Concentre-se apenas na sua presa

O jogo todo é muito mais dinâmico agora. O mundo é divido em seções, menores, que você vai dominando lentamente até prosseguir para a próxima seção. Agora, você está familiarizado com áreas belíssimas, cobertas por níveis que você pode escalar, correr, pular, balançar e deslizar de forma transparente.

Algumas áreas também foram construídas em armadilhas onde você pode usar o cenário para uma vantagem, oferecendo risco e recompensas ao levar um monstro em uma perseguição. É incrível também ver monstros lutando entre si por território quando você os faz se encontrarem.

O maior dinamismo também pode ser atribuído aos novos Scoutflies. Esses vaga-lumes brilhantes destacam qualquer interesse para você. Seu principal uso é ajudá-lo a caçar monstros, marcar pegadas ou outros sinais de passagem de um monstro. Uma vez que você encontrou sinais suficientes, os Scoutflies formarão uma trilha brilhante que o ajudará a rastrear suas presas com mais rapidez do que nunca.

monster-hunter-world-review-04
Foto: Divulgação

O sistema é uma ótima ideia. Eles não são um guia automático para o monstro no início de uma missão, pois você precisa procurar por pistas das criaturas em áreas enormes antes dos scoutflies terem informação suficiente

Isso significa que você pode eventualmente verificar seu mapa para a localização de um monstro, o que corta uma boa parte do trabalho chato. É um sistema muito mais elegante do que os ícones dos jogos anteriores.

Entre para a frota e divirta-se

Monster Hunter World é a evolução que a série tem esperado. As criaturas gigantes nunca estiveram tão bonitas, enquanto as belas áreas do mundo aberto e a forma como os scoutflies ajudam a sua exploração trouxeram um novo dinamismo para cada caça.

Continua brutalmente difícil e os despreparados ainda podem ser engolidos vivos, mas desta vez será somente sua culpa e não do jogo. Seja por conta própria, ou em um grupo, agora é hora de entrar para a ação.

Boa caçada.

Nota Surpreendente

Monster Hunter: World é o primeiro lançamento global simultâneo da franquia de ação e RPG, além de ser o primeiro que traz menus e legendas em português. No Metacritic, o jogo atingiu a incrível média de 91 pontos!

*Review elaborado usando a versão de PS4 do jogo. Cópia fornecida pela desenvolvedora.