VINGADORES: GUERRA INFINITA | CRÍTICA

Com uma grande reunião de heróis, o longa já está em exibição nos cinemas.

publicidade:

Classificação:

Nota ótimo

Pôster de Vingadores: Guerra Infinita
Divulgação

Não é nenhum segredo que Vingadores: Guerra Infinita é o filme mais aguardado do ano. E assim, marcando os 10 anos da Marvel Studios, o longa leva todos os heróis conhecidos até hoje no UCM ao seu maior confronto até agora, apresentando o que talvez seja o projeto mais ambicioso do estúdio. Balanceando elementos que são marca registrada do tom de suas produções, e não deixando seus personagens perderem sua identidade, o longa finalmente chega aos cinemas.

Uma jornada cinematográfica sem precedentes de dez anos de fabricação e abrangendo todo o universo cinematográfico Marvel, Vingadores: Guerra Infinita traz à tela o confronto final e mais mortal de todos os tempos. Os Vingadores e seus aliados devem estar dispostos a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poderoso Thanos antes que a sua explosão, devastação e a ruína coloquem fim ao universo.

Logo em sua primeira cena, o filme estabelece que não terá medo de arriscar e deixa claro para o espectador que nada será o mesmo depois dos acontecimentos apresentados aqui. As apostas estão mais altas do que nunca e o perigo é eminente, há um senso de urgência. Dividido em 4 linhas narrativas, e inúmeras locações que ficam difíceis de contabilizar, é necessário ressaltar o sucesso que os envolvidos tiveram ao equilibrar tantos personagens em 2 horas e 40 minutos de produção. Apesar de não serem perfeitas e terem suas falhas, os roteiristas conseguiram não deixar com que as narrativas ficassem esquecidas em meio a tantos acontecimentos, e por este motivo, Christopher Markus e Stephen McFeely devem levar grande parte do crédito pelo que será visto nos cinemas.

Ao lado dos irmãos Russo, os mesmos conseguiram manter as identidades dos heróis e trazer o tom de cada franquia para o projeto, equilibrando drama, ação, comédia e aventura de maneira eficiente ao desenrolar as várias jornadas pessoais de cada personagem apresentado, juntando-os em grupos no momento certo. Talvez um ponto negativo que deve ser apontado aqui é que o longa demora um pouco para encontrar o ritmo que prevalece na metade de seu 2º ato e na íntegra de seu 3º ato, mas, ainda assim, entrega uma das conclusões mais impactantes que a Marvel já fez.

Não há dúvidas, Anthony e Joe Russo tiveram em suas mãos o projeto mais desafiador apresentado até hoje pelo estúdio tanto narrativamente, quanto em termos de produção. Contando somente os principais nomes apontados nos pôsteres, os diretores tiveram a missão de comandar aproximadamente 20 atores e atrizes e não podem deixar de ser creditados pelo equilíbrio que trouxeram nas performances das estrelas do filme, que por sua vez, não decepcionaram ao trazerem seus heróis à vida.

Os encontros dos personagens, que há anos queríamos ver acontecer na tela, não desapontam e mostram que, mesmo contando com grandes nomes da indústria audiovisual, não há batalha de egos entre os envolvidos – bom, talvez entre Stephen Strange Tony Stark, ou o bilionário Peter Quill, que por sua vez também tem reações excelentes ao encontrar Thor, mas isso acontece de uma maneira cômica ala Marvel. Dentre os heróis, não posso deixar de apontar uma surpresa em relação ao Thor, que se mostrou um personagem extremamente importante para a trama, conseguindo deixar até o mais ao herói de Asgard realmente impressionado com sua evolução ao longo de cada cena, além da importância para isso.

O destaque mesmo vai para a performance de Josh Brolin como Thanos. Como apontado anteriormente em várias entrevistas, o Titã prova ser o maior e mais perigoso vilão já enfrentado pelos Vingadores até hoje, e em seus primeiros minutos de tela deixa claro que nada vai pará-lo em sua missão de coletar as joias do infinito. Um ponto interessante a ser colocado aqui é que, mesmo sendo o antagonista, Thanos tem sua história contada ao longo da trama com um destaque de protagonista e vai ganhando uma profundidade que, até então, não era esperada – o que mostra ainda mais as motivações do mesmo ao tomar suas atitudes. O vilão rouba a cena, e mostra ser o melhor ponto do filme.

Um ponto negativo que deve ser apontado é o uso da Ordem Negra, que não foi muito bem utilizada no filme e serviu mais como um desafio no caminho dos heróis do que o os grandes generais e líderes do exército criado pelo Titã nos quadrinhos. O grupo não atrapalha, mas também não adiciona muito ao projeto.

Filmado em IMAX, seria um descaso não falar da fotografia do filme. Trazendo recursos que conhecemos desde Capitão América: Soldado Invernal e que são assinatura dos trabalhos dos Russo na MarvelVingadores: Guerra Infinita conta com uma grandiosidade visual em suas cenas, onde muitas das percepções de quão importantes são os acontecimentos em tela vem do seu enquadramento.

Grandioso e sem medo de arriscar, Vingadores: Guerra Infinita traz uma história mais obscura do que estamos acostumados porém não deixa de lado o seu humor e sua ação. Equilibrado, o filme mostra que o Thanos realmente é o maior vilão de todos os tempos e que os Vingadores precisarão de toda a ajuda necessária para derrotar o Titã. Impactante em sua própria maneira e diferente de tudo que foi visto até agora, a Marvel prova mais uma vez que sabe como trazer essas histórias para o cinema e deixar os fãs na ponta da cadeira até o último minuto, levando todos em uma aventura que jamais será esquecida.

Ah! O filme tem apenas uma cena pós-créditos, contudo vale a pena ficar até o final e ver o que esperar de Vingadores 4.

Confira também: Assista ao trailer do filme Vingadores: Guerra Infinita

Vingadores: Guerra Infinita conta com o retorno de Robert Downey Jr.Chris EvansChris HemsworthMark RuffaloScarlett JohanssonJeremy RennerPaul BettanyElizabeth OlsenChris PrattZoe SaldanaDave Bautisa, Bradley Cooper e Vin DieselPom KlementieffKaren GillanTom HollandSebastian StanChadwick BosemanSamuel L. JacksonTom HiddlestonBenicio Del Toro e Josh Brolin também fazem parte do elenco.

Joe e Anthony Russo (Capitão América – O Soldado Invernal, Capitão América – Guerra Civil) assumem a direção. O roteiro é de Christopher Markus e Stephen McFeely.

Vingadores: Guerra Infinita já está em exibição nos cinemas. Enquanto isso, Vingadores 4 (ainda sem título oficial) está previsto para maio de 2019.

Não deixe de acompanhar todas as novidades e atualizações diárias do Jornada Geek no facebooktwitter e instagram.

Comentários: