The Seven em The Boys
Divulgação

Classificação:

Nota ótimo

Presentes na cultura pop há décadas, os super-heróis foram ao longo dos anos encontrando o seu caminho para sair das páginas e ocupar um espaço no cinema e na televisão. Foi um movimento facilmente classificado como algo crescente, mas que encontrou um grande estouro no início dos anos 2000. Desde então o seu espaço passou a crescer de forma mais rápida, com alguns estúdios apresentando grandes planejamentos. E é no meio deste movimento que a contraditória trama de The Boys encontrou o seu espaço para lançamento através da Amazon Prime.

A trama de The Boys imagina um universo no qual os heróis realmente existam, mas onde salvar as pessoas virou simplesmente apenas uma das suas funções. Neste universo eles geram filmes altamente lucrativos, viram marcas famosas, liderados pelo famoso grupo conhecido como Os 7 (The Seven no original), abraçando assim o seu lado egocêntrico, vaidoso e autoritário, no qual os seus desastres e erros são constantemente acobertados pela gigantesca empresa Vought. Contudo, um pequeno grupo de pessoas decide por um ponto final nesta grande farsa, buscando derrubar de uma vez por toda esta ilusão de adoração e necessidade dos supers.

Um dos pontos mais claros, e interessantes, a serem destacados desta nova produção é que ela tem um lado claramente protagonistas, mas ainda não se prende em apenas uma visão do que quer mostrar. Mesmo que logo no início tenhamos uma noção de que os “heróis” são os grandes vilões de diversos acontecimentos, outras vezes também somos apresentados a situações mais humanizadas dos mesmos, o que faz com que o roteiro claramente consiga fluir tão bem e de forma necessário ao longo dos seus acertados 8 episódios.

Além disso, tudo é muito bem trabalhado e concretizado ao longo de toda a trama, passando por cada um dos seus aspectos de bastidores. Os figurinos são excelentes, mas a fotografia, direção e efeitos acabam formando um combo fantástico ao lado da sua narrativa, visto que elas guiam o espectador para as cenas recheadas por um grande clímax ao longo de todos os seus capítulos.

A abordagem segura para o público adulto também é um dos maiores acertos vistos no projeto. Sem medo de passar dos limites, o projeto mostra cenas de grande violência, com cabeças sendo estouradas, ou situações completamente deturpadas de heróis, mas também trata de assuntos até mesmo relacionados ao assédio sexual, mesmo que sem se aprofundar detalhadamente no mesmo. E é exatamente por conta de tantas possibilidades que a sua trama consegue ir evoluindo.

Imagem da série The Boys
Divulgação

O elenco também não fica para trás ao longo, visto que em uma mistura de nomes já conhecidos, e outros não tão conhecidos, a Amazon conseguiu montar uma mistura interessante para apresentar ao seu espectador. A versão de Karl Urban como Billy Bruto claramente é um aspecto de liderança na série, visto que seu personagem é determinado a derrubar o grande regime de heróis, e fará isso usando qualquer arma que seja necessária. Por sua vez, o ator Jack Quaid e a jovem Erin Moriarty conseguem o espaço necessário para seus personagens mostrarem outras visões interessantes dos acontecimentos.

Obviamente, estes não são os únicos pontos altos do elenco, que por sua vez ainda conta com a presença de Chace Crawford (Profundo), Jessie Usher (A-Trem), Antony Starr (Capitão Pátria), Elisabeth Shue (Madelyn Stillwell) e Dominique McElligot (Rainha Maeve) como alguns fortes destaques através das suas atuações e personagens.

Rainha Maeve e Capitão Pátria em The Boys
Divulgação

Verdade seja dita, no meio de tantos projetos de heróis, é interessante ver esta visão tão deturpada e necessária deles surgindo nas telas. The Boys chega com um impacto interessante ao formato, pronto para competir com outros títulos do gênero de forma única, justamente por conta da sua abordagem. Além disso, encontra justamente um ponto de destaque por questionar as atitudes de heróis ao criar visões totalmente diferente de universos em que eles estariam presentes.

Liderado pelas visões de Eric Kripke, Seth Rogen Evan Goldberg, o projeto é claramente desenvolvido com muito cuidado após encontrar barreiras para acontecer ao longo dos últimos 10 anos. Entretanto, é válido destacar que ele chega no momento certo, justamente em um período em que temos diversos universo de heróis sendo construídos através de diferentes estúdios, para assim nos apresentar a sua visão, e quem sabe poder até mesmo beber da fonte destes personagens nas telas para trazer outras questões para a sua versão televisiva através da sua grande paródia liderada principalmente por visões deturpadas dos membros da Liga da Justiça.

Sem focar em grandes batalhas, mas utilizando a moral de seus personagens como o seu grande guia, a série The Boys é tranquilamente um dos maiores acertos da Amazon Prime em 2019, e também um alerta para a qualidade que o serviço de streaming pode oferecer.

Confira também: The Boys | Conheça algumas curiosidades sobre a nova série da Amazon

Sobre a série The Boys

The Boys se passa em um mundo onde super-heróis abraçaram o lado obscuro da fama e é centralizado em um grupo de vigilantes informalmente conhecido como “the boys”, que fazem de sua missão derrubar super-heróis corruptos.

Karl Urbam (Star Trek)Jack Quaid (Jogos Vorazes)Laz Alonso (Os Mistérios de Laura)Antony Starr(American Gothic)Dominique McElligot (The Last Tycoon), Chace Crawford (Gossip Girl)Jessie T. Usher (Survivor’s Remorse),  Nathan Mitchell (iZombie), Erin Moriarity (Jessica Jones) Karen Fukuhara (Esquadrão Suicida) estão no elenco do projeto.

Eric Kripke (Supernatural) assume o papel de showrunner e criador do programa, além de também cuidar da produção executiva ao lado de Seth Rogen Evan Goldberg (Sausage Party), Neal H. MoritzOri MarmurPavun Shetty e James Weaver.

A Sony Pictures Television Studios e a Amazon Studios são as co-produtoras da série. A primeira temporada de The Boys foi lançada em 26 de julho de 2019. 

Não deixe de acompanhar as novidades e atualizações diárias do Jornada Geek no facebooktwitter e instagram.

publicidade: