-publicidade-

FOREVER | PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Forever
Forever

A televisão é recheada de diversos gêneros, mas todos já conseguem apresentar programas de grande, média ou baixa qualidade. Aqueles que abordam a medicina já passaram por diversas fases, tendo como os destaques recentes House e Greys Anatomy. Os dois projetos apresentam dramas, sendo que a última, que ainda está no ar, consegue ganhar um destaque maior em cima disso. O mesmo vale para os títulos policiais, que sempre conseguem o destaque para seus personagens na mesma linha de construção. Contudo, no meio de tudo isso, é possível que exista novidades? E se uma série de TV conseguir misturar tudo isso, somando ainda ao estilo Sherlock de ser e uma pitada de ficção? É exatamente somando todas essas características que Forever chega, sem perder tempo para chamar a atenção do seu espectador.

 A trama acompanha acompanha o Dr. Henry Morgan (Ioan Gruffudd – saga Quarteto Fantástico, Ringer), um médico forense de Nova York, em sua viagem para encontrar à grande resposta da sua vida: como morrer? Henry possuí o dom da imortalidade, mantendo escondido de todas as pessoas, menos do seu melhor amigo e confidente, Abe (o vencedor do Emmy® e do Globo de Ouro Judd Hirsch — Taxi). A partir de tal ponto, o episódio passa a mostrar a vida do protagonista intercalando flashbacks e os dias atuais, explicando que de forma misteriosa tudo começou há 200 anos. Entretanto, tudo fica ainda mais complicado e misterioso quando ele se vê envolvido em um acidente de trem. Na investigação, o médico conhece a detetive do departamento de polícia de Nova York Jo Martinez (Alana De La Garza — Law & Order). Ela acaba descobrindo que o médico foi o único sobrevivente do acidente, mas a preocupação dele acaba sendo concentrada em um misterioso “fã” que parece conhecer o seu segredo.

É interessante ver como a narrativa de Forever percorre poucos personagens. Desde os primeiros momentos o roteiro vai selecionando cuidadosamente cada um dos envolvidos e o seu nível de conhecimento dentro da sua proposta. Apenas Abe conhece o segredo de Henry, então muito acaba passando por eles. Martinez acaba sendo um verdadeiro intermédio por diversas formas, principalmente pelo fato de desconfia muito do protagonista no início. Contudo, é utilizando tal conceito e conhecimento que o programa acaba misturando gêneros, sabendo medir a dose de investigação, medicina e drama em sua composição. Por enquanto, a ficção fica simplesmente por conta do fator imortal e o Dr. Lucas Wan (Joel David Moore) ainda fica um pouco fora do contexto, mas com a promessa de que pode ser importante para o futuro.

Os flashbacks também vão se mostrando necessários com o andar do capítulo, mostrando principalmente o momento da primeira morte há 200 anos, mas também focando em uma perda importante do personagem. São os aspectos diferentes que acabam transformando o programa em algo tão interessante. A busca e o estudo pela morte acabam dando um tom mais negro ao tema, mas acabam mostrando grande necessidade dentro dos acontecimentos e das abordagens construídas. O médico também utiliza sua imortalidade para a ciência, estudando até mesmo a intensidade das dores e aproveitando a mesma para construir possíveis soluções e determinar a causa de uma morte misteriosa no episódio-piloto.

- publicidade-

A verdade é que o conteúdo acaba se mostrando interessante, mas o estilo da série de TV deixa o espectador na dúvida por um fato: e se cancelarem? A inteligência e os elementos para aguçar a curiosidade do espectador estão presentes, criando expectativas, mas apenas a audiência pode determinar sua permanência na grade. Pelo menos algumas questões ela já consegue levantar tranquilamente. Quem será o “fã” misterioso do Dr.? Ele será única ou existem outros? Será que ele vai conseguir reverter sua situação sobre a morte?  Além disso, o que pode ser esperado para o futuro? Qual será o envolvimento da detetive nas questões envolvendo o protagonista? Ela descobrirá o seu segredo? São ótimas perguntas que apenas ao longo da temporada podem encontrar suas respostas. Além disso, o mais interessante pode ser acompanhar os anos que passaram da vida de Henry, incluindo os principais acontecimentos e seus últimos anos, ao lado da pessoa que perdeu. Os motivos ainda não foram revelados, mas podem ter alguma ligação com tudo isso? Sem dúvida alguma, a curiosidade será uma característica presente de forma constante em Forever.

- publicidade -
- publicidade -
-publicidade-

Notícias relacionadas

FOREVER | PRIMEIRAS IMPRESSÕES
Marco Victor
Fundador do Jornada Geek, formado em Jornalismo pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (atualmente conhecido como UniAcademia), mas também um grande amante de filmes e antigo frequentador de locadoras. Outras paixões também existentes estão em Séries de TV, HQs, Games e Música. Considera Sons of Anarchy algo inesquecível ao lado de 24 Horas, Vikings e The Big Bang Theory. Espera ansioso por qualquer filme de herói, conseguindo viver em um mundo em que você possa amar Marvel e DC apesar de ter no Batman e As Tartarugas Ninja como os seus heróis favoritos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Siga Nossas Redes Sociais

541,164FansCurtir
31,529SeguidoresSeguir
22SeguidoresSeguir
0SeguidoresSeguir
20,443SeguidoresSeguir
57InscritosInscrever
publicidade: FOREVER | PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Últimas Postagens