Shazam! | Crítica

O longa chega aos cinemas em abril.

publicidade:

Classificação:

Nota Surpreendente

poster de shazam
Divulgação

Sendo o primeiro filme da DC a chegar aos cinemas em 2019, Shazam! faz parte de um promissor futuro para as produções do estúdio. Trazendo um ótimo equilíbrio de gêneros narrativos e um elenco que não deixa a desejar, o mais novo longa de super-heróis prova que ainda há espaço para boas risadas, emoções e uma bonita mensagem sobre família neste mundo tão explorado nas telas grandes.

A trama do longa acompanha Billy Batson (Asher Angel), um garoto de 14 anos que, ao pronunciar uma única palavra — SHAZAM! –, pode se tornar o super-herói adulto Shazam (Zachary Levi), cortesia de um bruxo ancestral (Djimon Hounsou). Ainda uma criança de coração, mas agora com um corpo malhado, digno de um deus, o Shazam faz o que qualquer adolescente faria com superpoderes: se diverte com eles! Ele pode voar? Ele tem visão de raio-x? Ele pode atirar raios de suas mãos? Ele consegue se livrar das provas no colégio? Shazam testa os limites das suas habilidades com a imprudência alegre de uma criança. Mas ele precisará dominar seus poderes rapidamente para enfrentar as forças mortais controladas pelo Dr. Thaddeus Silavana (Mark Strong).

Não deixando que o espetador esqueça que a trama gira em torno de um adolescente que se tornou um herói, o roteiro de Henry Gayden explora as diversas camadas que formam Billy Batson ao longo da narrativa – desde sua busca por sua mãe biológica, até seus traços de personalidade e como o garoto se porta em diferentes situações (até mesmo ao se deparar com o bruxo ancestral que acaba por lhe dar seus poderes).

Outro ponto que deve ser destacado ainda em relação ao roteiro é justamente o uso dos gêneros narrativos no filme. Com um bom equilíbrio entre drama, comédia e ação, a produção prova que a DC vem melhorando cada vez mais o seu desenvolvimento cinematográfico, e aponta um caminho promissor para seu futuro nesse sentido. Ponto esse que, com o ótimo comando do cineasta David F. Sandberg, acaba por entregar uma excelente aventura ao espectador.

Entretanto, o maior destaque em Shazam! fica mesmo com seu elenco. Com o desafio de manter certas constantes entre a atuação de Asher Angel e Zachary Levi – já que ambos estão vivendo, em essência, o mesmo personagem -, o longa acerta na escolha dos seus protagonistas e, assim como pontuado acima, não deixa o espectador esquecer que o musculoso herói é, na verdade, um garoto de 14 anos. Além disso, Levi apresenta um herói descontraído, fácil de se relacionar – mesmo com todos os poderes de Shazam.

Não somente isso, também é preciso elogiar a performance do ator mirim Jack Dylan Grazer, que dá vida ao amigo de Billy: Freddy. Responsável pela maior parte do alívio cômico ao longo da trama, o personagem do mesmo aparece como um grande amigo e ajudante do protagonista.

Ainda em relação ao elenco mirim, as performances dos atores Grace FultonIan Chen Jovan Armand,Faithe Herman também aparecem com sua devida importância para a trama – cada um tendo um momento de brilho em sua interação e passagem na vida do jovem herói.

Em contrapartida, seu vilão acaba sendo o ponto de menos destaque. Mesmo que tenha suas motivações trabalhadas e bem explicadas no longa, quando colocado em oposição com o protagonista, a presença do Dr. Thaddeus Silavana acaba por ser somente mais um antagonista com objetivos bem comuns no universo de super-heróis – algo que fica até mesmo repetitivo para quem já está acostumado com filmes do gênero.

Servindo como mais um recurso importante para a imersão do espectador no filme, a fotografia traz uma ótima escolha de enquadramentos. Desde planos mais abertos para apresentar o ambiente e também envolvendo a presença de Shazam, até planos mais fechados em momentos necessários, o trabalho do cinematógrafo Maxime Alexander só adiciona nos elementos que convidam a audiência a embarcar na aventura proposta.

No geral, o trabalho com computação gráfica foi muito bem feito. Mesmo assim, ainda foi possível perceber o uso do CGI em determinados momentos que envolvem o herói, contudo isso não ocorre de maneira a atrapalhar os acontecimentos em tela ou a narrativa no geral.

Por fim, Shazam! é mais um acerto para a DC. Com um ótimo equilíbrio de gêneros e um elenco que não deixa a desejar, o novo título de super-heróis traz uma bonita e importante mensagem sobre família, deixando a promessa de que o estúdio está percorrendo o caminho certo com seus projetos.

Vale destacar que longa tem duas cenas pós-créditos, então fique até o final!

Confira também: Shazam! | Assista ao novo trailer do filme protagonizado pelo herói

Asher Angel dá vida o intérprete de Billy Batson, enquanto Zachary Levi (Chuck, Heroes Reborn), é o herói título que é o seu alter ego. Por sua vez, Mark Strong (Kingsman: Serviço Secreto, Sherlock Holmes, Kick-Ass) dá vida ao vilão Doutor Silvana. Grace Fulton (Annabelle 2)Ian Chen (Fresh Off the Boat),  Jovan Armand (Bella e os Bulldogs), Jack Dylan Grazer (It: A Coisa) Faithe Herman (This Is Us) também estão no elenco como os intérpretes dos amigos de Batson que vivem com ele em uma casa de adoção. Djimon Hounsou (Guardiões da Galáxia) viverá o feiticeiro ancião Shazam.

O cineasta David F. Sandberg (Quando As Luzes Se Apagam e Annabelle: A Criação do Mal) é o diretor do filme, enquanto Henry Gayden (Terra Para Echo) foi confirmado como o novo roteirista do longa protagonizado pelo herói. Antes dele, Darren Lemke estava responsável pela trama.

Peter Safran, que trabalhou em Annabelle e é um dos produtores de Aquaman, também será produtor de Shazam!

O filme solo do Shazam! chega aos cinemas no dia 04 de abril.

Não deixe de acompanhar todas as novidades e atualizações diárias do Jornada Geek no facebooktwitter e instagram.