--publicidade--
Home Crítica QUESTÃO DE TEMPO | EM DVD / BLU-RAY

QUESTÃO DE TEMPO | EM DVD / BLU-RAY

Questão de Tempo

Se existe um gênero que pode se adaptar dentro de outro é o romance. É um fato: não temos como correr de tal aspecto dentro das produções, mesmo aquelas que envolvem ação, já que raramente não teremos um casal envolvido em algum ponto da trama. É claro, existem exceções, mas é algo raro. Fora isso, ainda temos, é claro, as histórias desenvolvidas exclusivamente para o gênero, com todos os detalhes e características que possam mostrar algo simples e belo, até situações de total descaso e desespero que aos poucos vão utilizando o seu desenvolvimento para apresentar um resultado satisfatório ao espectador. Entretanto, o roteiro mais interessante é aquele que pode apresentar mudanças, algo que é também perceptível no caso do filme Questão de Tempo.

Na trama, ao fazer 21 anos, o pai de Tim lhe conta um incrível segredo: todos os homens em sua família tem a habilidade de reviver o passado e passear pelo tempo de suas vidas. Com isso, o jovem pode voltar a qualquer momento em sua vida para tentar fazer coisas diferentes, até que fique tudo perfeitamente certo. Inicialmente ele pensa em dinheiro, mas também em busca do amor, decide usar esse dom especial para conquistar a jovem e bela Mary. Contudo, com o passar do tempo, Tim também descobre que o caminho para o amor verdadeiro pode ser hilariantemente difícil – mesmo podendo tentar, tentar e tentar de novo.

É realmente gratificante observar a evolução de uma trama, mas no caso de Questão de Tempo isso consegue ser ainda maior. O roteiro da produção parece ser muito simples em seu início, por vezes até parado e melodramático demais. Contudo, é com o desenvolvimento de uma produção com aspectos simples que vamos descobrindo os valores do que está sendo contado na tela. A direção procura trabalhar angulações simples, buscando realmente retratar o cotidiano, mas também utiliza a trilha sonora para passar uma ambientação de constante nostalgia quando é necessário para o clímax do filme.

--publicidade--

Trabalhando exatamente em cima das mudanças de ambiente, novas fazes na vida de Tim são mostradas após sua primeira desilusão e a mudança para a “cidade grande”. É de tal forma que o espectador também começa a sentir um maior carinho pelo filme, através de uma narrativa que passa a ser envolvente, simples e bonita. As metas e propostas logo são traçadas e o cotidiano passa a ser o alvo de toda a produção, mas sem deixar as viagens no tempo de lado. De forma simples, temos a lembrança de outro projeto recente envolvendo a atriz Rachel McAdams: Te Amarei Para Sempre. Toda via, fica evidente a abordagem modifica e a mensagem totalmente diferente do anterior.

A maior lição de Questão de Tempo vem com o saber viver o dia a dia, aprender a seguir sua vida da melhor forma possível, sempre lembrando as escolhas que devemos tomar em todo o caminho. Contudo, nada disso seria possível sem a entrega do elenco inteiro, mas principalmente de Bill Nighy, Rachem McAdams e Domhnall Gleeson. É claro, os dois primeiros nomes já são conhecidos do público por grandes atuações, mas os seus papéis aqui se mostram convictos da proposta, ressaltando-se principalmente nos diálogos com o protagonista. No caso de Gleeson, que viver Gui Weasley na saga Harry Potter, temos uma novidade. O ator é o ponto evidente, já que é o protagonista, e não decepciona. A convicção passada por seu personagem vai evoluindo com seu aprendizado e não se encantar com tudo o que está em volta é praticamente impossível.

É de tal forma e com essas características sendo apresentadas que o espectador vai se entregando ao filme, mas também pensando: e se eu pudesse mudar o passado? Mudaria minhas escolhas? É claro, cada um tem sua visão sobre isso, mas o misto de comédia, romance e drama britânico consegue cumprir seu objetivo claramente quando o fim chega para ele.

Classificação:

--publicidade--

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here