-publicidade-

-publicidade-

ME CHAME PELO SEU NOME | CRÍTICA

Longa já está em exibição nos cinemas

Classificação:

Nota ótimo

Pôster de Me Chame Pelo Seu Nome
Divulgação

Mais um coming-of-age irá estrear no Brasil esse ano, Me Chame Pelo Seu Nome é baseado na obra homônima de André Aciman, e é o terceiro filme da trilogia “Desire” do diretor Luca Guadagnino. O filme está recebendo aclamação internacional, inclusive tendo vencido o prêmio de Melhor Roteiro Adaptado no Critic’s Choice Awarsds.

A trama acompanha um jovem de 17 anos, Elio (Timothée Chalamet), que começa um romance com um dos convidados de seu pai, Oliver (Armie Hammer), durante as férias da família na Riviera italiana.

Mostrando toda a sedução de um início de relacionamento, o roteiro de Me Chame Pelo Seu Nome mostra sem pressa o começo de uma paixão, desde o seu início em que não há clareza dos sentimentos, não se sabe o que está acontecendo, até a descoberta de que sim, é uma paixão. Esse ritmo lento de descobertas falha na movimentação da história, e ocasiona uma falta de dinâmica no filme, ainda assim não prejudica o mesmo em seu desenvolvimento.

Elio e Oliver encaram esse sentimento inicial de uma forma interessante, já que os dois ficam em uma disputa de egos quando se conhecem. Elio demonstra um desafeto pelo novo convidado, enquanto Oliver sempre tenta se mostrar superior do que o jovem menino, tudo para esconder o que verdadeiramente sentem.

A fotografia do filme é excelente, ambientado no norte da Itália, nos anos 80, são destacadas sempre as belas paisagens no verão. Cada movimento, por mais simples que seja, como um puxão no calção que está caindo, é ressaltado pela fotografia para demonstrar a sensualidade que o filme é envolvido.

Outro destaque é quando Elio tem a sua primeira relação sexual com a Marzia, e é algo desajeitado em que o garoto se mostra preocupado se está fazendo a coisa certa. Enquanto quando vai ter a sua primeira relação com Oliver é algo totalmente natural e envolvente que não precisa de preocupações.

Apesar de ser um filme carregado pelo drama, Me Chame Pelo Seu Nome tem os seus alívios humorísticos, principalmente com o Elio descobrindo seus sentimentos e seu corpo, como na famosa cena do pêssego, que talvez seja a única cena que realmente arranca risadas de toda a sala do cinema.

Me Chame Pelo Seu Nome passa a mensagem de viver uma vida sem medos, de se entregar aos seus sentimentos e aproveitá-los enquanto ainda duram. É um filme perfeito pra quem gosta de um romance singelo e bonito, e podem preparar seus lencinhos porque é um filme que tem tudo para arrancar lágrimas de seus espectadores.

Confira também: Os vencedores da premiação Critic’s Choice Awards 2018

Call Me By Your Name já está em exibição nos cinemas.

Não deixe de acompanhar todas as novidades e atualizações diárias do Jornada Geek no facebooktwitter e instagram.

- publicidade -

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

539,280FansLike
60,571FollowersFollow
22FollowersFollow
0FollowersFollow
20,273FollowersFollow
57SubscribersSubscribe
ME CHAME PELO SEU NOME | CRÍTICA

Últimas Notícias