Classificação:

Muito bom

65530Os acontecimentos envolvendo a Segunda Guerra Mundial são extensos por conta da sua duração, então não é incomum ainda surgirem novos títulos atualmente. Muitas questões já foram exploradas dentro do formato, focando em tramas específicas e chamando atenção ao longo dos anos por conta do seu foco através do que era mostrado. A verdade é que independente do gênero, o cinema já foi presenteado com títulos que vão daqueles que se baseiam em fatos, até uma mente insana de Quentin Tarantino que mudou o rumo dos eventos e o seu final em Bastardos Inglórios. É claro, o destaque ainda vale para filmes como A Lista de Schindler ou O Resgate do Soldado Ryan, mas ainda assim parecia que faltava algo diferente. Agora, focando em uma trama envolvendo tanques, é a vez de Corações de Ferro chegar ao mercado Home Vídeo.

Na trama, um grupo de soldados, liderados por Don Waddardy (Brad Pitt), são recrutados para atacar o exército alemão, já combalido e com a derrota decretada, mas que ainda mantém os seus focos de resistência em alguns pontos do país. Para se defender, o grupo tem apenas o “Fury”, um dos últimos tanques de guerra a sucumbirem ao poderio avançado do equipamento nazista. Além disso, nesta missão, Waddardy ainda ganha um novo componente para equipe, o jovem Norman (Logan Lerman), a quem acaba tendo que ensinar muito sobre a guerra, e também sobre a vida. E assim, com menos pessoas e armas, eles enfrentam uma desvantagem esmagadora na tentativa heroica de atingir o coração da Alemanha nazista.

A produção começa a ser desenvolvida em cima de uma narrativa já características de projetos do mesmo gênero. Personagens são apresentados através de uma situação imposta, sendo que apenas a seguir o desenvolvimento do roteiro começa realmente a acontecer. A partir de então, uma temática mais especifica começa a surgir, fazendo com que David Ayer mostre a sua qualidade como diretor ao definir o que quer mostrar dentro de algo que poderia seguir tantas vertentes. E claro, com tal escolha e abordagem, títulos já citados no início do texto acabam sendo reconhecidos como influências claras através do modo com que os fatos vão se desenrolando em alguns momentos.

Entretanto, mesmo com lembranças, referências e características próprias, o que mais chama atenção dentro de todo o contexto são os seus personagens. A tripulação do tanque Fury é claramente o objetivo principal do título, já que a sua convivência ganha um destaque crescente, mas sempre girando principalmente em torno de Waddardy e Norman. O novato é o contraponto dos outros personagens, sendo o responsável por atritos no início, no meio de personalidades tão fortes e diferentes, mas também sendo o grande responsável pela nascente de uma amizade ainda mais forte por parte de todos os soldados que movem o grande tanque.

No fim de tudo, o título em questão possuí exatamente as características que garantiram o sucesso de projetos envolvendo a temática das grandes guerras. A trama vai mostrando os pontos certos dentro de um contexto, sendo assim acompanhado da forma certa pela direção, possuindo um grande foco em seus personagens e conseguindo ir envolvendo o espectador por através de diversas personalidades, incluindo a inocência de Norman e as suas descobertas que vão acontecendo de uma forma tão diferente por conta de sua ambientação.

Outro destaque importante é o fato de que muitas situações acabam acontecendo dentro de um tanque, mostrando não apenas as batalhas, mas também uma aproximação e envolvimento do grupo em questão enquanto eles seguem o seu caminho dentro da Segunda Guerra Mundial. Com isso, o resultado final é claro, já que Corações de Ferro sabe não apenas desenvolver os dramas pessoais de personagens, mas também acaba se mostrando um bom filme de guerra ao conseguir surpreender através dos seus acontecimentos.