Esportes eletrônicos ou esportes da mente: o que cresce mais rápido no mundo digital?

publicidade:
Jogos online
Divulgação

Os esportes eletrônicos estão em plena ascensão. Segundo relatório extenso da Newzoo, agência global de marketing especializada nos e-sports, a expectativa é que só em 2019 o setor cresça 15% e atinja o total de mais de 450 milhões de pessoas no mundo todo.

A popularidade é enorme e os números não mentem. Além disso, com o prestígio vem o dinheiro. A expectativa é que em 2021 o faturamento seja o dobro do ocorrido em 2018, ou seja, cerca de US$ 1,65 bilhão em uma única temporada. No entanto, será que os esportes eletrônicos são tão soberanos assim quando comparados com a também grande ascensão dos esportes da mente?

Poker como grande “rival”

Assim como os e-sports, a popularização em massa em nível mundial dos esportes da mente chegaram há pouco tempo. E quais são essas modalidades? Poker, xadrez, bridge, damas e go estão regulados sob a Associação Internacional de Esportes da Mente (IMSA), fundada em 2005 e membro da Associação Geral das Federações Esportivas Internacionais.

Dessas modalidades, o poker é de longe a mais poderosa. Esse chamado esporte da mente movimenta bilhões de dólares todos os anos e vem crescendo a passos largos na internet e nos torneios ao vivo.

Mesa de Poker

Só no Brasil, por exemplo, a Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), estima que o país já tenha aproximadamente oito milhões de praticantes, o equivalente a população de países como Suíça, Israel e Áustria.

Premiação dos jogadores de elite do poker é maior do que nos esportes eletrônicos

Os famosos jogos de high stakes movimentam muita grana e a natureza do poker faz com que isso tome proporções gigantescas. Como é um esporte da mente em que as pessoas colocam o dinheiro no chamado “pote” para gerar a quantia cobiçada, os torneios mais graúdos contam com premiações exorbitantes.

Atualmente, o maior vencedor em prêmio na história do poker é Justin Bonomo. O americano já conquistou mais de US$ 44 milhões na carreira e está a caminho de chegar na espetacular marca de US$ 50 milhões.

Premiação dinheiro
Divulgação

Para se ter uma ideia do tamanho da premiação já conquistada por Bonomo, isso representa 10 vezes mais do que o jogador mais premiado de e-sports — Kuro Takhasomi, conhecido como “KuroKy”.

Claro, vários fatores contribuem para isso. No poker, o jogador não tem um “prazo de validade”. Há competidores que estão na terceira idade e ainda conseguem manter bom nível de competitividade, o que é o oposto dos esportes eletrônicos.

A realidade financeira dos grandes eventos do poker é indiscutivelmente maior e isso vem em rápida ascensão. Para se ter uma ideia, o campeão do último main event da World Series of Poker (maior torneio do mundo) levou para casa US$ 8,8 milhões, valor que vem crescendo ao longo dos anos.

Anel de Poker
Divulgação

Parte da excelente realidade financeira do poker também se dá pelo fato de que a modalidade é muito receptiva para novos jogadores. Para começar a praticar esse esporte da mente, só é preciso uma conexão estável de internet e um hardware pouco potente.

Além disso, no poker é possível jogar sem gastar um real. Nas cartas, esse é o caso do Replay Poker, site que oferece diferentes tipos de torneios online para o competidor e tudo com bônus gratuitos que fazem com que o jogador comece a jogar grátis.

Já no que diz respeito aos esportes eletrônicos, é preciso ter uma conexão online um pouco melhor, assim como hardware mais potente para aguentar alguns dos jogos modernos.

A popularidade em marketing dos e-sports é indiscutivelmente maior

A natureza das modalidades é totalmente diferente. No poker, uma mesa final pode durar horas e isso não é convidativo para as televisões. Já muitos dos games nos e-sports são bem mais dinâmicos e, portanto, mais populares.

No ano passado, o Mundial de LoL alcançou a incrível marca de 99,6 milhões de espectadores nas transmissões oficiais do jogo final entre Invictus Gaming e Fnatic. A competição aconteceu na Coréia do Sul e atingiu o recorde absoluto de audiência — que era de 80 milhões, conquistado em 2017.

Esse número não é nem de perto alcançado pelas maiores transmissões de poker, visto que o apelo em termos de popularidade é muito maior no lado dos esportes eletrônicos.

Computadores
Divulgação

Apesar do poker estar crescendo em termos de números de praticantes, o esporte tem uma pegada totalmente diferente que faz com que não haja um potencial tão grande como os esportes eletrônicos em audiência.

Conclusão: poker dá mais dinheiro aos jogadores, mas e-sports ganham em audiência e crescem em maior ritmo

O poker funciona com profissionalismo há muito mais tempo do que nos esportes eletrônicos. O WSOP começou em 1970 e o esporte conta com jogadores milionários há décadas. Portanto, junto com o crescimento ativo do poker na internet com dezenas de milhares de jogadores online, não fica difícil entender a realidade privilegiada em termos financeiros desse esporte da mente.

O crescimento ainda mais avassalador dos esportes eletrônicos, porém, faz com que as projeções sejam extremamente otimistas. Com o mercado atingindo cifras bilionárias e a audiência tão grande a ponto de rivalizar com os esportes tradicionais (como basquete e futebol), parece que é apenas questão de tempo até que os jogadores mais famosos dos esportes eletrônicos se tornem celebridades ainda mais influentes ao ponto de ultrapassar os ganhos dos competidores do poker.

imagem 06
Divulgação

Quando o assunto é responder à pergunta de qual setor cresce mais rápido, os esportes eletrônicos certamente é a resposta correta e o crescimento de audiência em 15% só em 2019 é um dos vários exemplos.

Não deixe de acompanhar todas as notícias diárias sobre filmes, séries e games do Jornada Geek no facebooktwitter e instagram.