GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 | CRÍTICA

O longa estreia dia 27 de abril

publicidade:

Classificação:

Nota ótimo

Não é nenhum segredo que a Marvel continua investindo em seu Universo compartilhado. Na época em que os Guardiões da Galáxia foram apresentados pela primeira vez ao público nos cinemas, o Universo Marvel abriu fronteiras para novas aventuras – entre elas, a trama do novo filme: Guerra Infinita – e assim, a expectativa para uma continuação começou a surgir dentre os fãs desde 2014. Muito disso foi pela maneira como James Gunn apresentou o universo cósmico, fazendo com que o personagens como Peter Quill (Chris Pratt)Gamora (Zoe Saldana)Drax (Dave Bautista)Rocket (Bradley Cooper) Groot (Vin Diesel) passassem a ganhar destaque e o amor do espectador. Agora, completando 3 anos desde o lançamento de seu primeiro o filme, Guardiões da
Galáxia
finalmente está de volta para seu Vol. 2.

A trama de Guardiões da Galáxia Vol. 2 conta com as músicas de Awesome Mixtape 2 de pano de fundo durante a trajetória do grupo ao ultrapassar os limites do cosmos. Os Guardiões precisam lutar para manter sua recém formada família unida, enquanto descobrem os mistérios sobre o verdadeiro pai de Peter Quill (Chris Pratt). Quill descobre que seu pai, Ego (Kurt Russell), na verdade é um planeta vivo capaz de se manifestar de diversas maneiras e o mesmo quer passar seus ensinamentos ao filho. Após acontecimentos inesperados, antigos inimigos se tornam aliados, enquanto outros personagens conhecidos e amados dos quadrinhos virão ao auxílio dos heróis.

Mais uma vez James Gunn apresenta um ótimo trabalho do caminho que quer seguir. O roteiro do longa traz um mix de comédia, drama e ação na medida certa, enquanto ao mesmo tempo consegue desenrolar sua trama com eficiência. Dessa vez, o fio condutor de Guardiões da Galáxia é a relação entre Peter Quill e seu pai. Contudo, isso não impede que Gunn aborde o aprofundamento na relação entre o time cósmico e seus personagens secundários. Mas isso não pára por aí. Aproveitando todos os seus detalhes, ele desenvolve também uma história secundária que será gancho para o terceiro filme da franquia.

Contando com o retorno do  seu elenco protagonista já citado acima, o diretor mostra mais uma vez o domínio e conhecimento sob os personagens, enquanto os atores entregam performances ainda mais cativantes. Além disso, durante a trama vemos o quinteto ainda tendo que se separar. Drax, Gamora e Peter Quill tomam um caminho, enquanto Rocket e Baby Groot tem outra missão. Essa divisão contribui para o desenvolvimento dos relacionamentos entre eles e explora questões que foram pinceladas no primeiro filme – como a relação entre Gamora e Peter Quill. Além disso, vale também destacar que Rocket está mais rancoroso e tentando se distanciar do restante dos Guardiões da Galáxia.

Em suas performances, os atores entregam uma sensibilidade maior aos personagens que já são conhecidos e todos tem como um ponto de união: o Baby Groot. Desta vez, vemos o pequeno integrante do time contando com a ajuda dos amigos durante as batalhas, enquanto realiza as missões que nenhum outro personagem pode fazer. E sim, o pequeno Groot rouba a cena em vários momentos ao trazer alívios cômicos e momentos dramáticos durante o desenrolar do filme.

Além disso, Pom Klementieff (“Oldboy”); Elizabeth Debicki (“O Grande Gatsby”, “Evereste”); Chris Sullivan (“The Knick”, “A Entrega”); e Kurt Russell (“Os Oito Odiados”, “Velozes & Furiosos 7”), que são as novas adições ao projeto, entregam seus personagens com maestria. No mais, também não é possível deixar de lado o fato de que os espectadores vão ver algumas participações surpresa durante o filme.

Contudo, talvez o que mais diferencia Guardiões da Galáxia Vol. 2 de seu primeiro filme é que, dessa vez, a trama se passa toda no espaço. Com isso, o longa entrega ao espectador uma pintura visual que faz com que o uso do recurso 3D seja bem aproveitado. Outro fator que é destaque em Guardiões é a grande gama de cores que foram utilizadas, lembrando muito o visual dos quadrinhos.

Bem maior e preparando o Universo Marvel para o que está por vir, Guardiões da Galáxia é uma diversão garantida. O contexto da trama é bem explicado e mais uma vez o uso de alívios necessários é bem aproveitado, provando que os Guardiões conseguem levar o espectador em uma aventura espacial novamente. Com um roteiro despretensioso, o novo filme da franquia não decepciona ao focar na relação entre seus personagens e apresentar mais uma vez a grandiosidade do universo cósmico em que acontecem suas aventuras.

Ainda temos aquele sentimento de que a produção mais uma vez prepara o público para outro título do estúdio, sendo dessa vez, Guardiões da Galáxia Vol. 3. Vale dizer que o filme não faz menção aos Vingadores, somente a Thanos (que é pai de Gamora e Nebula – personagem de Karen Gillian) e talvez essa seja a única coisa que a produção fica devendo àqueles que esperavam um gancho para os novos passos do Universo Marvel.

Não esqueça, o Guardiões da Galáxia Vol. 2 tem 5 cenas pós-créditos, então fique até o final. Você não vai se arrepender!

Guardiões da Galáxia Vol. 2 estreia dia 27 de abril nos cinemas.

Comentários: